Blog

5 consequências positivas da pandemia para a educação

Nos últimos meses, mais de 1,5 bilhão de alunos e professores do mundo todo foram impactados pela pandemia causada pela COVID-19. Impedidos de frequentarem os espaços físicos de escolas e instituições de ensino público e privado, o formato tradicional de educação deu lugar ao ensino a distância e a tecnologia se tornou maior aliada de gestores, professores, pais e alunos.

Apesar de todo prejuízo físico, emocional e econômico, a pandemia também acelerou transformações e trouxe à tona diversos desafios a serem contornados. No Brasil, por exemplo, a falta de capacitação para docentes atuarem em uma nova realidade e a carência de estrutura necessária para milhões de alunos nos mostraram que temos ainda um longo caminho pela frente.

No entanto, é preciso também observar esse momento por uma ótica positiva, pois toda crise é uma oportunidade para aprendermos coisas novas. Diante desse cenário, o setor de educação precisou se adaptar à novas demandas, usar a criatividade e buscar soluções que facilitassem esse processo. Desse esforço coletivo surgem as novas técnicas e soluções que ficarão como legado para um futuro próximo.

Neste artigo, listamos 5 consequências positivas da pandemia para a educação e como podemos aplicá-las no dia a dia com as nossas crianças e professores. Continue lendo!

A educação tradicional está com os dias contados?

Muito além do sentimento de incerteza que uma pandemia pode causar na sociedade, foi possível observar mudanças quanto ao significado de aprender e ensinar. Com as medidas de isolamento social, muitos pais tiveram de assumir o papel de educadores dentro de casa, participando ativamente no processo de aprendizagem das crianças.

Nesse contexto, professores e alunos precisaram se engajar em prol da manutenção e continuidade dos estudos. Foi preciso criar novas formas de ensino, avaliação e trabalhos em grupo, deixando clara a necessidade de planejamento, dedicação e organização para aprender e ensinar no meio digital.

A verdade é que o isolamento criou novos hábitos e costumes em pais, alunos, professores e no sistema de ensino em geral. Por conta desse movimento, acendeu-se o alerta para a revisão de antigos conceitos, aplicados no que chamamos de educação tradicional. 

“As restrições são, contra-intuitivamente, uma parte crítica do processo de criatividade, e é por isso que são parte integrante de como as pessoas e as organizações mais inovadoras operam. Estamos tão acostumados a ver ou resolver um problema de uma certa maneira que uma restrição que nos força a pensar “fora da caixa” é benéfica. Esse ponto de vista diferente é essencial, porque nos permite reformular o problema original e ver novas opções.” (Michael C. Wenderoth)

Em pouco tempo, processos, estruturas e metodologias baseados em conteúdo e resolução de problemas, com “punição” para respostas erradas, devem cair cada vez mais em desuso e não se aplicarão ao novo normal.

Paralelamente, é importante notar que o aprendizado também é possível além da sala de aula, seja em escolas ou universidades, e que a família tem papel fundamental nesse processo.

Aqui na codeBuddy, nós também já vínhamos apostando em metodologias inovadoras que fazem a diferença no aprendizado dos alunos.

Educação a distância: planejar para aplicar

O quadro negro deu lugar à tela dos computadores e dispositivos móveis, como celulares e tablets. Ao invés de alunos em carteiras enfileiradas, as salas de aula viraram salas virtuais, cada um de sua casa.

Antes visto por muitos somente como um formato de educação alternativo, o ensino a distância tornou-se protagonista para o setor como forma de minimizar os impactos da pandemia para alunos e instituições de ensino. No entanto, diante da complexidade e necessidade de respostas rápidas que o isolamento social exigiu, ficou claro que o ensino EaD não é simplesmente uma transposição do ensino tradicional para os ambiente digital.

Em vários casos, a falta de preparo do corpo docente para lidar com o mundo virtual representou um grande entrave, e mostrou que a capacitação desses profissionais para ensinar fora da sala de aula é fundamental. Conjuntamente, pais e alunos precisam do direcionamento, acompanhamento e ferramentas necessárias para que esse modelo de ensino seja efetivo.

O processo de aprendizagem a distância exige um grande trabalho de cooperação. Para alcançar um bom resultado, é necessário um esforço conjunto com equipes formadas por professores, designers, desenvolvedores, bibliotecários, ex-alunos e agentes externos (empregadores, por exemplo).

Além da forma, estrutura e usabilidade das plataformas a serem utilizadas, é função desses times multidisciplinares planejar atividades, conceber novas formas de avaliação, produzir e disponibilizar ferramentas de aprendizagem e mediar com a participação e engajamento dos alunos.

5 consequências positivas da pandemia para a educação

Durante os últimos meses, temos sido bombardeados com tristes notícias sobre os efeitos da pandemia no Brasil no mundo. Mas o objetivo deste artigo é mostrar um outro lado desse momento e o que podemos tirar de útil do que tem sido feito.

Por isso, listamos abaixo 5 consequências positivas da pandemia para a educação e como elas podem ajudar seu filho no futuro.

1 – Adaptabilidade

Gestores, educadores, pais e alunos precisaram, rapidamente, se adaptar a uma nova realidade. Foi preciso deixar o medo e as incertezas de lado para chegar a soluções que permitissem a continuidade das aulas e os períodos letivos.

Para as crianças, viver esse momento e conseguir se ajustar a mudanças tão rápidas, sem dúvidas, irá torná-las adultos mais resilientes.

2 – Criatividade

Situações de crise são impulsionadoras da criatividade. As restrições em consequência do isolamento social nos forçaram – educadores, pais e alunos – a criar soluções para problemas e questões antes deixados de lado.

Fomos obrigados a pensar fora da caixa! 😉

3 – Organização

Igualmente ao ensino presencial, a educação a distância demanda disciplina e estudo. No entanto, esse novo formato exige de muitos estudantes um novo e rápido amadurecimento.

O aprendizado a distância requer, acima de tudo, organização. E nesse período de isolamento social, foi preciso ensinar as crianças a controlarem seu tempo, para que as distrações de uma casa ativa não atrapalhassem seu rendimento escolar.

4 – Colaboração

Diante de um cenário inédito, toda a comunidade educacional precisou unir forças. O conceito de individualidade, muito comum no formato de ensino tradicional, deu lugar à colaboração.

Alunos ajudando professores a usarem plataformas e gravar aulas; alunos ajudando alunos em condições menos favoráveis ao ensino a distância; professores ajudando professores a encarar uma nova realidade de ensino.

Todos juntos e com um nobre objetivo em comum! <3

5 – Autonomia

Além da organização, a autonomia é outro ponto importante da educação a distância. Diferentemente do ensino presencial, no qual o conteúdo é diariamente exposto em sala de aula com a figura do professor sempre à disposição, nossos jovens precisaram descobrir novas formas de adquirir conhecimento e tirar dúvidas.

Como fazemos questão de frisar aqui na codeBuddy, a autonomia é o primeiro passo para formar jovens empreendedores. É ter coragem para contornar os obstáculos e transformar sonhos em realidade.

E aí, gostou do conteúdo? Leia também nossos outros artigos aqui no blog 😉

< Blog >

Outros artigos

6 benefícios da transformação digital na educação

Eduscrum: a aplicação de metodologia ágil em sala de aula

6 ideias para comemorar o Dia do Orgulho Nerd