Ir para o conteúdo

Exibindo artigos de
Habilidades e competências

Porque aprender programação ajuda a entender o empreendedorismo

O empreendedorismo, assim como aprender programação, é uma área em constante evolução. Nas últimas décadas esse universo obteve uma ajuda dos avanços tecnológicos que o impulsionaram.

Neste artigo, você entende como a tecnologia e o empreendedorismo se encontram no ensino de programação de computadores.

Para quem cresceu em um mundo sem internet e sem celulares, assistindo a rápida ascensão dessas formas de comunicação, parar para refletir em como nosso mundo mudou pode ser até mesmo vertiginoso, não é?

De pensar que antes tínhamos que enviar cartas, ligar em telefones fixos e que a forma mais fácil de se informar era pela TV…

Agora imagine os passos que as crianças de hoje – que crescem com gadgets e redes sociais – podem dar no futuro, sem tiverem o preparo e a expertise para inovar e atuar na resolução de problemas?

E aí que entra nosso papel de informar e atualizar os temas e abordagens na educação. A codeBuddy tem uma missão muito especial. Queremos fazer parte do movimento de preparar as crianças e adolescentes de hoje para um futuro promissor em um mundo cada vez mais tecnológico.

Veja abaixo alguns dos principais motivos pelos quais a programação de computadores ajuda a entender o empreendedorismo.

A paisagem do empreendedorismo contemporâneo é tecnológica

O mundo empresarial não é mais o mesmo. É só dar uma olhada nas maiores empresas mundiais para notar que no topo das listas dos empreendimentos bilionários estão as gigantes tecnológicas.

Afinal, imagine que a nossa realidade está sendo compartilhada e formada em sites, aplicativos e redes sociais nas quais nos apresentamos, interagimos e expressamos nossa opinião. Google, Facebook, NuBank, Netflix, Uber… A lista pode continuar.

Todas essas empresas têm em comum o fato de terem iniciado suas operações de maneira modesta, oferecendo serviços que buscavam uma brecha no mercado, solucionando questões prévias de maneiras mais eficazes.

Essa é a definição de Startup, um modelo empresarial essencialmente ligado na era tecnológica.

Agora, você já imaginou que por trás de todas essas novas soluções tecnológicas existem times de programadores que criam algoritmos que fazem de tudo, desde sugerir novos vídeos em nosso Feed ou nos oferecer uma oferta imperdível de óculos escuros?

Essa é a ligação mais direta entre o mundo do empreendedorismo e a programação de computadores: é a linguagem que molda o nosso mundo.

A programação de computadores une teoria e prática

Um dos fatores mais impactantes da onda de revoluções tecnológicas é a velocidade.

Afinal, parece que o mundo até mesmo encolheu; podemos falar com outra pessoa em qualquer lugar do mundo com facilidade e custos baixos, arquivos são transferidos em segundos e basta um clique para acessar bens culturais, filmes, jogos, etc.

Toda a rapidez do mundo da informação também influencia a exigência de que o aprendizado e a aplicação de novas habilidades sejam mais rápidos e eficazes.

No ensino de programação, esse tipo de agilidade, mental e criadora, é naturalmente trabalhado. A criação de um programa simples, como um app de calculadora, é capaz de exigir capacidades lógicas e cognitivas expansivas na mente de uma criança. O resultado – muito almejado nas aulas de matemática – é um produto funcional que une teoria e prática de forma primorosa.

Lembrando que o foco nos resultados é um fator imprescindível para o empreendedorismo.

A velocidade para atingir esses resultados não significa que devemos apressar ou acelerar as crianças, mas criar formas para transformar o ensino em uma atividade divertida e engajante, com resultados muito mais claros. Da mesma forma, é assim que em uma empresa é possível otimizar a maneira como problemas são resolvidos, criando uma operação mais produtiva e menos custosa.

Empreendedorismo é uma atividade criativa

Podemos dizer que atuar no mundo do empreendedorismo significa transformar uma ideia em realidade.

Muitos dos grandes CEOs de empresas de hoje em dia seriam vistos no passado como inventores, criando soluções para o mundo tão impactantes quanto o surgimento da máquina à vapor ou do avião.

É claro que transformar projetos ambiciosos em realidade significa, normalmente, muito trabalho direcionado e construtivo, além de investimento e paciência.

No entanto, a possibilidade do empreendedorismo virtual começou a propiciar que pessoas com pouco capital pudessem inovar e criar soluções, como é o caso das grandes Startups que citamos anteriormente.

Isso ocorre porque as plataformas virtuais permitem criar, construir e inovar sem precisar de grandes deslocamentos ou construções materiais. A Uber, por exemplo, revolucionou o mundo das corridas urbanas sem precisar possuir nem um carro, apenas unindo motoristas e passageiros.

O mundo da programação de computadores abre portas para uma inventividade muito ampla. Nossos alunos demonstram frequentemente esse potencial, em projetos inovadores como os apresentados no desafio Change The World – Game XP.

Um(a) aluno(a) codeBuddy será incentivado a avançar em seu aprendizado a partir da construção de projetos pessoais e coletivos. Nesse processo, ele(a) precisará aprender novas habilidades, desenvolver seu raciocínio e superar problemas de maneira ativa.

Todas essas noções são essenciais para qualquer empreendedor(a). E estamos falando tanto de quem busca empreender no mundo virtual quanto no modo tradicional.

A programação de computadores ajuda a desenvolver a resiliência

A resiliência é uma qualidade essencial de qualquer empreendedor. Erros, fracassos, altos e baixos compõem a biografia de qualquer grande pessoa de sucesso.

No entanto, essa circunstância será sempre acompanhada de um processo de aprendizado. Afinal, os erros são uma forma de entender o que é preciso mudar em uma estratégia ou abordagem.

Essa perspectiva – que dissocia o erro da sensação de fracasso – é parte do espírito da programação de computadores. Os erros ou bugs  são vistos como uma forma de comunicação no desenvolvimento de um programa.

Programadores profissionais estão totalmente acostumados e já esperam que erros irão surgir no processo. Conhecer esses erros previamente significa evitar que um bug seja conhecido apenas quando os usuários começarem a falar mal do produto por aí.

A mesma perspectiva é uma dica de ouro para qualquer empreendedor. Cada passo da operação é um caminho rumo ao sucesso, inclusive os problemas ou dificuldades do percurso.

Entendeu um pouco mais da relação entre empreendedorismo e programação de computadores? Agora que tal entender como a programação pode fazer mais pelo seu filho?

programar desde cedo
 Ler mais

3 crianças que criaram projetos para mudar o mundo

O incrível potencial das crianças é um fato incontestável. Elas são curiosas, criativas e aprendem novas habilidades com facilidade. Além disso, elas são empreendedoras natas, já que sempre observam nosso mundo com olhares inesperados e são hábeis em imaginar soluções.

Podemos dizer que crianças e adolescentes possuem a chave para criar empolgação e foco em qualquer projeto em que se interessarem, ainda mais se o processo for divertido! Nesse contexto, a tecnologia se transforma em uma ferramenta incrível para educar a inovar.

Você já imaginou os frutos possíveis da criatividade das crianças, quando voltada para projetos para mudar o mundo?

É justamente isso que a codeBuddy queria encontrar  no desafio Change The World – Game XP. A ideia era ver todo esse potencial gerando frutos de impacto social. E os resultados foram exatamente como a gente imaginou: incríveis.

No desafio, crianças e adolescentes deveriam criar soluções tecnológicas para questões de interesse comum para toda a sociedade e, como você verá, os projetos vencedores tratam de temas como saúde, meio ambiente e acessibilidade.

Conheça abaixo os projetos para mudar o mundo das crianças que venceram nosso concurso e ganharam passaportes para o evento Game XP – o maior Game Park do mundo, que ocorreu em Julho de 2019.

Nathan Viegas, aluno codeBuddy

Um jogo para conscientizar em relação ao meio ambiente

Aqui na codeBuddy, gostamos de abordar a importância que a tecnologia pode ter na educação, especialmente os jogos, que não costumam receber atenção necessariamente positiva na mídia tradicional.

Mas o que dizer quando um aluno de 9 anos produz um jogo com o intuito de conscientizar a preservação de uma espécie em extinção?

Foi o caso de Nathan Viegas, um aluno codeBuddy vencedor da categoria de 7 a 9 anos do desafio Change The World – Game XP.

Os auritas são uma espécie de sagui, macaquinhos que vivem na região serrana da Mata Atlântica, abundante no Sudeste do Brasil. Esse animais estão em risco de extinção, uma preocupação de nosso aluno, que resolveu unir diversão e conscientização em seu game educacional.

No enredo do jogo, é preciso salvar os saguis evitando obstáculos simbólicos dos ataques contra o meio ambiente: caçadores, lixo e fogo, que ameaça queimar a floresta. Os obstáculos diminuem a velocidade do jogador, que precisa trabalhar sua movimentação e agilidade.

Você pode pensar que esse projeto não vai, necessariamente, mudar o mundo. Mas você já ouviu o ditado de que precisamos cuidar de nosso quintal antes de mudar o mundo?

A fala de Nathan já explica tudo: “Os auritas vivem nas montanhas de Petrópolis, cidade onde moro, e muitas pessoas não sabem que eles existem. Meu objetivo com o jogo é fazer mais pessoas conhecerem e, dessa forma, lutar pela sua preservação”.

Pequenas soluções como essa, podem gerar frutos inesperados, capazes de alterar nossa sociedade para melhor, construindo peça por peça de um novo mundo.

https://globoplay.globo.com/v/7828583/programa/

Uma smart-bengala capaz de ajudar pessoas com deficiência visual

Todo mundo já viu, na vida ou em filmes, pessoas cegas ou deficientes visuais com cães guias e bengalas para se localizarem no mundo. Se a ideia inovadora de Felipe Rodrigues (um aluno de 13 anos) pegar, essa paisagem poderia se tornar muito mais tecnológica e futurista.

Felipe se inspirou em uma situação familiar para criar seu projeto vencedor da categoria entre 10 e 13 anos do desafio Change The World – Game XP: uma prima, com praticamente a sua idade, que é deficiente visual e precisa da ajuda de seus pais para se locomover.

A criação de Felipe parece o tipo de ideia que a gente fica de boca aberta com a sensação de “como ninguém pensou nisso antes?”.

Trata-se de uma bengala inteligente, que utiliza um sistema de sensores de obstáculos e gera um aviso sonoro para a pessoa que não pode enxergar. Além de planejar o sistema por trás do equipamento, Felipe produziu artesanalmente a bengala, que ficou elegante e com a parte elétrica protegida.

Felipe afirmou desejar que seu projeto possa ajudar outras pessoas com deficiência visual, para além de sua prima. Considerando que esse é apenas um protótipo, não temos dúvida de que a ideia possa vingar em uma boa solução para facilitar a vida de milhares de pessoas pelo mundo!

Raissa Lauar

Um app para ajudar os pais a cuidarem de crianças com obesidade

A vencedora da categoria entre 14 e 17 anos, Raissa Lauar (de 14 anos de idade) já pode ser tranquilamente chamada de empreendedora digital. O seu sucesso não é recente, já que ela já foi convidada a dar palestras e agita seus projetos de ciências na escola, usando técnicas de efeitos especiais para produzir vídeos, criando games e sites de diversos temas.

Raissa quer ser programadora e considera a importância de sua presença no aumento das mulheres no ambiente tecnológico. É isso aí Raissa!

Mas além de sua promissora carreira, Raissa ainda reserva uma atenção cuidadosa para a questão da saúde infantil em seu app vencedor do concurso Change the World.

Trata-se  de um sistema voltado à prevenção e tratamento da obesidade infantil, com notícias, receitas, informações a respeito de saúde e nutrição, contatos de especialistas na região do(a) usuário, uma ferramenta para calcular o IMC (Índice de Massa Corporal ) e um chat para que os usuários possam trocar experiências e se conhecer. Ufa!

A base completa para criar conscientização e ação para o problema da obesidade impressiona: é uma plataforma robusta e profissional, com tudo para crescer em popularidade e ajudar a vida de várias pessoas. Raissa, concisa, revela as qualidades de seu produto: “O app facilita o acesso a informações seguras, que podem ajudar a combater a doença”.

projetos para mudar o mundo: como dar o primeiro passo

As crianças podem mudar o mundo!

Esses são apenas exemplos incríveis mais recentes de crianças e jovens criando projetos para mudar o mundo.

O ensino da tecnologia e a conscientização das crianças – a respeito dos desafios e possibilidades do mundo conectado – é uma missão que pode gerar resultados incríveis e nos permitir mudar o futuro com ações no presente.

A codeBuddy está engajada em ajudar pais e filhos a trabalharem essas potências transformadoras! Nossos cursos de tecnologia estão disponíveis nas mais de 40 unidades, espalhadas por oito estados brasileiros, com tutores prontos para ajudar crianças a criarem projetos para mudar o mundo.  Conheça nossos cursos e faça parte do mundo codeBuddy!

 Ler mais

Entenda os benefícios educacionais da programação de games

Para quem acompanha o blog da codeBuddy, não é surpresa que consideramos que a tecnologia e, especialmente, os games, são uma ótima ferramenta para o aprendizado de habilidades como o raciocínio lógico e o pensamento matemático. É claro que a programação de games faz parte desse nosso repertório, certo?

Essas habilidades são trabalhadas diretamente no contato da criança ou adolescentes com os games. Jogos como o Minecraft (muito utilizado na codeBuddy) são conhecidos no mundo todo por alimentar a resolução de problemas e a criatividade em públicos de todas as idades.

Agora, imagine que para que milhões de pessoas no mundo todo possam se divertir e avançar algumas capacidades mentais, equipes de programadores, designers e engenheiros trabalham apaixonadamente para criar os complexos mundos dos games.

Quando adquirimos um desses produtos, muitas vezes não imaginamos que existe um mercado de trabalho e especialistas com grande preparo por trás de todos os pequenos detalhes de um game.

Aprender a linguagem de programação desde cedo significa abrir portas para um futuro promissor não apenas para o mundo dos games, mas também para a atuação e posicionamento em mundo cada vez mais conectado no virtual.

Nesse artigo, vamos falar um pouco dos benefícios do ensino da linguagem de programação para o desenvolvimento de crianças e adolescentes que amam tecnologia.

Vamos lá?

O aprendizado matemático na linguagem de programação

O mundo online é basicamente constituído por números.

Desde os primórdios da informática, qualquer processamento realizado em um computador é baseado na mesma premissa: composições e cálculos que se baseiam em 0 ou 1. Isso é chamado mundialmente de código binário.

Agora, pense que todos os mais complexos sistemas – desde o despertador de seu celular até os sistemas em naves espaciais – são baseados em conjuntos e cálculos envolvendo apenas 0 e 1.

Parece loucura, não é?

A simplicidade deste sistema é justamente o que faz do aprendizado da linguagem de programação um grande incentivo ao desenvolvimento matemático. É por meio da adoção  da lógica de programação que sistemas complexos podem ser completados e até mesmo mudar o rumo de nossas vidas.

Um dos maiores problemas para quem sem se pergunta como desenvolver o gosto pela matemática em crianças é encontrar formas práticas de conectar o pensamento abstrato ao mundo material. E nesse quesito a programação de computadores é uma ferramenta maravilhosa.

Você já ficou perdido(a) em uma atividade por um tempo, totalmente compenetrado(a), até chegando a perder a noção do tempo e do espaço? Não é incomum vermos alunos em aulas de programação aqui na codeBuddy com esse nível de foco e concentração na hora de criar um novo game de sua autoria.

Programação de games

O aprendizado da lógica pela programação de computadores

Qualquer pessoa que deseja aprender a criar programas, aplicativos ou jogos, irá se deparar com uma mesma situação: independentemente da linguagem utilizada, do programa necessário para compilar os jogos ou da década em que vivemos, a lógica é a mesma.

O processo de aprender a programar envolve, justamente, a absorção dessa lógica.

Os programas mais simples utilizam da frase  “se…” para indicar à máquina o que ela deve fazer em cada situação.

Quando você usa um computador e clica em uma pasta para abri-la, existe um comando previamente programado que diz para o sistema “se o usuário clicar na pasta x, abra a pasta x”.

Parece simples, mas esse é um exemplo demonstra a lógica inicial que qualquer aluno de programação irá aprender.

Se você já preencheu um formulário online, por exemplo, deve ter encontrado ao final da página um botão com os dizeres “confirmo as informações”. Porém, se você esqueceu de preencher algum campo importante, o sistema irá te barrar, não é mesmo?

Esse sistema funciona pela mesma lógica. Por exemplo: “se o usuário clicar em avançar e não tiver preenchido os campos, mostre o aviso: preencha os campos”, da mesma forma “se o usuário tiver preenchido todos os campos, avance para a página final”.

Esse é um exemplo muito simples da linguagem de programação. Como você pode notar, trata-se de uma linguagem pois os comandos são uma verdadeira comunicação com a máquina, indicando o que fazer em cada situação.

programação para crianças

Como a linguagem de programação ajuda na resolução de problemas

A nossa cultura moderna acostumou-se a tratar o erro como uma coisa essencialmente negativa.

Esse é, inclusive, um dos grandes motivos pelos quais muitas crianças veem a matemática como um verdadeiro “bicho papão”, com seus cálculos, provas e problemas. O medo de errar e, com isso, fracassar, é um sentimento que mina a criatividade e a inovação, pois o crescimento envolve sempre um fator de risco.

No aprendizado de programação, pelo contrário, crianças e adolescentes são encorajadas a entender o erro como uma forma de desenvolvimento.

Quando você cria um sistema, uma comunicação com a máquina é estabelecida, no movimento de traduzir comandos em códigos que serão convertidos em 0 e 1 no chip do computador.

Porém, isso não seria uma verdadeira comunicação caso a máquina não pudesse responder! E é justamente nos chamados bugs (erros de código) que um(a) aprendiz de programador(a) pode compreender o que há de errado no sistema, o que pode ser modificado, melhorado, recriado.

Nos jogos, a questão é a mesma! Por ser um ambiente virtual e deslocado da vida, as crianças são levadas a aprender com os erros até conseguirem superar determinada fase ou obstáculo.

Em outra escala ainda, o mundo das novas empresas – como as grandes startups que lideram mercados no mundo contemporâneo – trata justamente da resolução de problemas através da criatividade.

Programação de games

A programação de games é divertida e impactante

Todos esses passos que descrevemos envolvem a programação de qualquer sistema, programa ou aplicativo. No entanto, quando o assunto é educação de crianças e adolescentes, a criação de games pode ser um incentivo a mais.

Se seu filho ou filha ama tecnologia e jogos, você consegue imaginar o brilho em seu olhar no momento em que terminar de construir o seu próprio universo interativo? Diante a possibilidade de compartilhar com amigos(as) a sua nova criação?

Se os jogos ajudam a desenvolver a lógica e a criatividade, criar os próprios jogos pode ser um verdadeiro divisor de águas na hora de criar uma relação ativa e positiva com o mundo tecnológico em que vivemos.

Na codeBuddy, nós utilizamos todas essas abordagens para criar um universo de aprendizado criativo, instigante e moderno para nossos alunos. A programação de games faz parte da nossa rotina e os resultados são sempre incríveis: alunos muito mais curiosos e motivados!


 Ler mais

8 dicas para desenvolver educação financeira para crianças

Entender o mínimo de finanças é essencial para o adulto contemporâneo. E deixar essa missão para os momentos de tensão comprovadamente não é o melhor caminho. É por isso que falar de educação financeira para crianças não pode mais ser um tabu, mas uma realidade amplamente divulgada.

Afinal, existem uma série de aprendizados financeiros importantes que podem ser adquiridos na infância. Eles são responsáveis por capacitar os pequenos, tornando-os adultos mais conscientes e capazes de cuidar de si mesmos sem depender tanto da opinião de terceiros (bancos, por exemplo).

Além disso, estudos demonstram que as crianças com 3 anos de idade já são capazes de entender os conceitos básicos do dinheiro. Com 7 anos, muitas delas já adquiriram alguns hábitos importantes. Por que ignorar isso?

A educação financeira para crianças é até mesmo uma forma de trazer o conhecimento matemático do dia a dia para a realidade, tornando assuntos chatos em algo prático e que vale a pena ser aprendido.

Ele também cria um senso maior de responsabilidade, pois responde perguntas que parecem simples, como: de onde vem o dinheiro? Quanto vale, realmente, um real? Porque escolher um produto e não o outro? Quais são as prioridades na hora de contabilizar gastos?

É pensando em preparar jovens e adolescentes de todo o Brasil que separamos 8 dicas para auxiliar os pais que desejam educar seus filhos no uso do dinheiro.

Vamos lá?

dicas para desenvolver educação financeira para crianças: o famoso cofrinho

1. Aprendizado pela observação

Se a sua intenção é ajudar os seus filhos na educação financeira, o ideal é que você se transforme em um modelo a seguir. Tendemos a repetir os erros e acertos de nossos pais, então porque não aplicar a consciência financeira no seu dia a dia?

A gente já sabe: crianças são observadoras incríveis! Perceba o quanto elas começam a colocar seus sapatos e brincar com eles, imitam seu jeito de falar ou a bronca que a professora dá em sala de aula. Use isso a seu favor!

Deixe que percebam quanto você faz as contas e planeja os gastos. Explique porque um brinquedo não pode ser comprado em determinado momento e que, se planejarem, talvez seja possível comprar em um futuro breve.

Como pais, podemos e devemos filtrar algumas informações para não gerar estresse e ansiedade antes da hora, mas podemos ser o mais transparentes e honestos possíveis, explicando conceitos simples de compras.

2. Entendimento sobre o valor do dinheiro

Pais dedicados querem que seus filhos vivam bem, com segurança e que sintam-se confortáveis em seu dia-a-dia. Algumas vezes isso significa liberar uma grana para um fim de tarde no shopping com amigos ou comprar algum objeto que “todas as crianças têm”.

No entanto, esse desejo de manter o bem estar pode resultar em pedidos absurdos ou uma criança que não tem noção que o dinheiro é um bem escasso e que precisa ser planejado.

Uma boa forma de passar adiante essa lição é justamente com a mesada. Vamos supor que ela tenha R$ 50,00 por mês e que queira um brinquedo novo justamente com este valor. Ao mesmo tempo, ela quer comprar os chicletes e doces que vendem na porta da escola.

Faça parte do processo de tomada de decisão, mas deixe que a criança decida o que ela quer e lide com as consequências: se escolher o brinquedo, ficará sem chiclete e doce; se escolher os chicletes, terá que deixar o brinquedo para o próximo mês.

Todo adulto sabe que essa situação hipotética é muito real na vida cotidiana. Criar essa situação para a criança irá ajudá-la a entender prioridades e fazer escolhas.

menina contando moedas

3. Gratificação no tempo certo

Outra tática muito interessante é traçar um momento ideal para que a mesada seja entregue para a criança.

Vamos supor que a criança poderá colocar 5 reais por dia em um pote com as suas economias. Essa tática pode ser complementada com a adição de 1 real por semana a partir do momento em que as crianças fazem um ano a mais de idade.

O pote com economias irá crescer, mas desde que haja uma limitação, como tirar uma quantidade pré-definida e limitada de dinheiro nos domingos.

Com o tempo a criança aprenderá não apenas sobre o valor do dinheiro, mas também será educada a respeito da gestão das finanças pessoais ao decorrer do tempo, o que envolve a noção de  controle financeiro.

4. Lidar com o dinheiro para entendê-lo

Hoje em dia, muitas das finanças dos adultos são feitas por meio de transferências online e cartões de crédito.

É recomendável que as crianças sempre lidem com notas e moedas e que se evite o uso de cartões pessoais e com o mundo abstrato das finanças digitais. Isso deve ser feito até, ao menos, o período em que seja possível verificar que a criança está demonstrando os efeitos da educação financeira.

A materialidade das notas e moedas ajuda muito no processo de apreensão do valor do dinheiro.

5. Compartilhe sua “filosofia financeira” com as crianças

Ensine as crianças a sua visão pessoal a respeito do mundo financeiro. Esse diálogo é extremamente importante nesse percurso de aprendizado.

Você pode definir algumas palavras chaves como “guardar, ganhar, gastar, investir e criar objetivos”, e utilizar esse plano para criar frases de efeito para as crianças.

Exemplo: “Gaste com inteligência, pois assim poderá comprar mais coisas”.

6. Traga a matemática para o cotidiano

Além de ser uma ótima ferramenta para educar as crianças financeiramente, trabalhar as finanças em atividades cotidianas pode ser uma forma exemplar de desenvolver o gosto pela matemática em seu filho.

Uma das formas mais corriqueiras de fazer isso é levar os pequenos para o supermercado e deixá-los que auxiliem nas compras. Exercícios, como escolher o melhor produto como o dinheiro disponível, podem ser muito benéficos na apreensão do saber financeiro.

7. Deixe os erros ensinarem

Quem nunca gastou demais em um produto que não valia a pena e depois chateou-se com isso? Infelizmente, esse processo faz parte da educação financeira.

Da mesma forma, é importante que os pais deixem que seus filhos cometam erros e aprendam com isso a adquirirem mais responsabilidade financeira.

Você pode alertar que existem calças bonitas e que custam menos do que R$150. Mas deixe que a criança gaste o dinheiro dela como bem entender. Caso ela se sinta frustrada com seu investimento, encoraje-a a aprender com o erro e gastar melhor da próxima vez.

8. Aprenda mais sobre educação financeira

Estar ciente sobre o tema ajuda muito na hora de educar! Mantenha-se atualizado(a) quanto a sua forma de lidar com a gestão de suas próprias finanças. Leia sobre o tema, utilize novas tecnologias – como apps dedicados a economia – e aprenda com os outros as melhores formas de economizar ou investir seu dinheiro.

Quanto melhor for a sua relação com o mundo financeiro, mais experiente você se tornará para ensinar para a criança a ter responsabilidade e compreender o valor do dinheiro.

Gostou de nossas dicas?


 Ler mais

5 dicas de matemática para facilitar o cotidiano

Quem nunca se perguntou qual seria o papel da matemática na vida prática? Quem nunca pensou naquela fórmula de Bhaskara como algo impossível de ser aprendido? É por saber que todo mundo já passou por isso que decidimos tirar um tempo e dar algumas dicas de matemática que podem ajudar muito no cotidiano!

Enquanto pais ou educadores, somos ponto-chave na vida educacional dos pequenos. Temos o poder de incentivar, desde cedo, o desenvolvimento de habilidades importantes como a resolução de problemas e até indicar ferramentas que oferecem aumento de raciocínio lógico.

Desenvolver o gosto pela matemática é um desafio complexo, especialmente com a utilização de celulares e calculadoras que já parecem pensar por nós. O trabalho pode parecer pouco, mas, na verdade, precisamos lembrar que ambos só dão a resposta certa se o pensamento por trás for correto.

E é sempre válido lembrar que o pensamento matemático não serve apenas para resolver equações ou trabalhar em profissões como a engenharia. A matemática básica está o tempo todo ao nosso redor, seja no troco da padaria ou na conta para entender o quanto um investimento na poupança pode trazer de retorno.

Por isso, trabalhar as suas capacidades de cálculo pode resultar em uma relação mais ativa com tarefas cotidianas. E fazer a diferença em como seu filho enxerga a disciplina! As lições de casa não precisam ser impossíveis nem para eles, nem para vocês. Por isso, checa só nossas dicas:

dicas de matemática para não ficar no vermelho

1 – Lidando com dinheiro

O dinheiro é uma das áreas cotidianas que mais lidam com a matemática. Afinal, no mundo financeiro tudo é permeado de números e as operações básicas são incluídas em qualquer transação. Junte-se ao seu filho e calculem juntos, “de cabeça”, descontos e gorjetas em restaurantes.

Para isso, comece lidando com cálculos de 10%: 10% de 20 é 2. Ou seja, o desconto ou gorjeta de 10% do valor de R$ 20 será R$ 2.

Sempre calculamos a porcentagem de 10% cortando uma casa decimal do número original. Assim, se você obteve o desconto de 40% no valor de um produto de R$ 100, você pode simplesmente calcular o total somando o valor de 10%. 10% de R$ 100 são R$ 10.

Portanto, 40% de R$ 100 = 10 + 10 + 10 + 10, resultando em R$ 40.

Esses exemplos simples podem ser aplicados em momentos mais complexos, e com o tempo podem ficar naturais. Sabe aquela pessoa que sempre faz as contas de cabeça, impressionando os amigos no final de um jantar? Ela certamente costuma praticar esse tipo de operação.

matemática não precisa ser difícil, fazer contas é questão de costume

2 – Contas no supermercado

Os supermercados são estabelecimentos que utilizam a matemática de diversas formas. Adotar algumas práticas cotidianas pode ajudar a criar uma perspectiva mais crítica em relação aos preços, ofertas e até mesmo na escolha dos melhores produtos.

Uma pessoa empenhada em praticar a matemática no cotidiano pode utilizar algumas táticas ao seu favor, por meio de procedimentos simples. Um exemplo são ofertas de produtos mais caros, que podem ser anunciados com o valor em gramas para parecerem baratos. Um produto na rotisseria pode, por exemplo, ser ofertado com o valor de

,23 a cada 100 gramas. Ao ver uma iguaria oferecida por um valor tão baixo, a pessoa imediatamente se atrai pelo produto. No entanto, uma conversão simples – que pode ser feita “de cabeça” – irá demonstrar que o valor do produto é 12,3 reais por quilo, um preço não tão convidativo.

Manter em mente esse tipo de observação pode ajudar a pessoa a navegar pelo supermercado e escolher as melhores opções. As contas de matemática simples, utilizadas para calcular a quantidade de produto X o peso, por exemplo, são uma boa forma de incentivar as crianças a aprenderem matemática, na tarefa de comprar o produto com o melhor custo a partir do dinheiro disponível.

Matemática na cozinha

3 – Matemática na cozinha

Se a sua ideia é aprender frações, uma das melhores formas é botar literalmente a mão na massa.

Mesmo que você decida seguir uma receita, a matemática pode ser usada caso você precise aumentar a quantidade para suprir um maior número de pessoas. Dobrar a receita é um costume comum na maioria das cozinhas familiares ao redor do mundo. O problema aparece quando você tem que descobrir qual é o dobro de ⅔ de um copo de farinha para fazer um bolo de aniversário.

Esse tipo de situação ajuda a visualizar a matemática materialmente, na relação entre quantidade e volume. Se você tem dificuldade na hora de preparar uma receita, que tal chamar seu filho ou filha para dar uma mãozinha?

Reformou: dicas de matemática para deixar tudo em dia

4 – Reformas e decoração da casa

Se você é do tipo de pessoa que gosta de construir coisas, botar a mão na massa e fazer as próprias alterações na casa, existe uma grande chance de a matemática ser uma boa companheira!

Ela aparece de inúmeras maneiras na quantidade de tinta necessária para cobrir uma parede, na medição de materiais utilizados para construir ou adaptar uma prateleira ou mesmo para calcular a quantidade de adubo necessária para dar uma revitalizada no jardim.

5 – Dicas de matemática em viagens

Tanto para deixar o carro preparado para a viagem quanto na hora de verificar rotas e quilometragens, praticar a matemática pode se tornar uma forma de evitar e resolver problemas. A matemática vai aparecer, por exemplo, quando você estimar o uso de combustível para a distância a ser percorrida e o tempo necessário para chegar em uma nova parada.

Você pode pensar “mas hoje existe o Google Maps e sistemas de GPS, porque eu faria isso?”. Bem, como dissemos acima, a prática da matemática não ajuda apenas a resolver os problemas cotidianos, mas oferece benefícios na hora de pensar logicamente, ativar o raciocínio lógico e te deixar menos dependente de informações prontas.

Aumentar a percepção rápida da matemática pode até mesmo ajudar na compreensão do mundo ao redor. Afinal, é só você sentar 10 minutos para assistir um jornal para ser bombardeado por frações, porcentagens e números.

Quando entendemos os cálculos por trás das notícias, podemos melhorar a visão crítica dos acontecimentos que mudam nossa vida. Assim, podemos mudar o ambiente ao nosso redor para melhor e fazer a diferença.


 Ler mais

4 passos para desenvolver o gosto pela matemática em seu filho

A matemática pode parecer uma área desafiadora para alguns adultos. Agora imagina desenvolver o gosto pela matemática em crianças – parece mais difícil ainda, não é?

São vários os motivos para criarmos esse obstáculo com a disciplina logo nos primeiros anos de escola. Um deles é justamente o desafio pedagógico de fazer crianças compreenderem o raciocínio lógico por trás de toda conta matemática.

Por muitas vezes ser um tipo de pensamento que tende ao abstrato, parece impossível aplicá-lo na vida real. Especialmente se você está no alto dos seus 10 a 12 anos.

Antigas e novas formas de ensino

De fato, os problemas apresentados nos exercícios escolares ainda são muito focados naquele famoso exemplo de divisão de chocolate entre amigos, sem um estímulo que vá além do óbvio e se aprofunde numa rotina. São fórmulas e decorebas que não ajudam, por exemplo, na hora de um aluno calcular se recebeu o troco certo no lanche do recreio.

A questão é que a matemática não precisa ser um bicho papão! Com o auxílio de abordagens criativas e inovadoras, e é claro que a tecnologia faz parte dessa nova forma de ensinar, os pais podem dar uma bela ajudinha no aprendizado e na aplicação da matemática no dia-a-dia.

A primeira dica é óbvia: torne essa atividade divertida e perceba os resultados aparecerem. Sendo mais integrada aos gostos e lazer do seu filho, ele tende a se sentir mais motivado a estudar e aprender. Ele verá sentido em fazer isso – e não é tirar boa nota na prova.

Acreditamos que desenvolver o gosto pela matemática pode inclusive ajudar no relacionamento entre pais e filhos. Foi atrasando uma mesada e explicando resumidamente (e aplicando) o conceito de juros que minha filha soltou a frase “gostei desse negócio de juros” e procurou mais informação sobre – e não será diferente com você.

Pensando nisso, separamos 4 passos para desenvolver o gosto pela matemática em seu filho (ou filha, como foi o meu caso). Vamos lá?

desenvolver o gosto pela matemática pode partir de uma atividade de culinária!

Passo #1 – Inclua as crianças em atividades cotidianas

Lidar com dinheiro, compras no supermercado, cozinhar. Essas são algumas das atividades cotidianas que todos nós fazemos e que trabalham diretamente com o raciocínio matemático.

Uma tática que pode ser aplicada facilmente – e recomendada por educadores – é inserir os pequenos nessas atividades sem deixar de supervisionar o seu desenvolvimento (especialmente na cozinha).

Leve as crianças para fazer compras e peça que escolham um produto pelo melhor custo benefício. Entregue uma nota de 10 reais e peça que façam as melhores escolhas em um mercadinho. A criança naturalmente entenderá melhor a soma e a subtração assim. Afina, são os interesses dela em jogo.

Na cozinha, a maioria das receitas inclui a divisão e a multiplicação. Você pode pedir para a criança medir com uma xícara a quantidade de farinha para um bolo, por exemplo, auxiliando o raciocínio matemático. E até fazer duas vezes a quantidade de um molho de macarrão e ajudar o pequeno a fazer as contas!

Tudo isso facilita o entendimento de frações, como entender o que de fato significa ¼ de um copo, e ajudará no futuro, quando as contas se tornarem um pouco mais complexas.

aprender matemática brincando é sempre melhor!

Passo #2 – Organize e transforme a hora do dever de casa

O aprendizado escolar da matemática exige que muito do que é absorvido venha dos erros e acertos, da repetição de exercícios até que algumas operações mais complexas sejam compreendidas em profundidade.

Para que isso ocorra, a hora de fazer a famigerada lição de casa é essencial.

Os pais podem ajudar muito nesse processo ao menos de duas formas. A primeira é ajudar a organizar o tempo e o lugar para o estudo. Determinar uma hora certa para os exercícios, e participar ativamente desse momento, criando um senso de rotina e a demonstrando que essa atividade tem um começo e um fim. Aliás, ótima oportunidade para desenvolver outras habilidades.

Além disso, os pais podem ajudar essa atividade a ser menos trabalhosa. É preciso ter paciência com os erros e com o possível estresse gerado pelo aprendizado da matemática. A criança precisa compreender que os desafios podem ser divertidos e que não tem problema errar, que isso faz parte do processo.

Os pais podem ajudar colocando música clássica para tocar, por exemplo, e encorajando que os erros sejam vistos como uma forma de compreender melhor o problema.

Passo 3# – Aproveite a Gamificação e storytelling para incentivar a visão positiva da matemática

Aqui na codeBuddy nós adoramos e usamos as táticas de gamificação e storytelling para ajudar nossos alunos a aprender com diversão. Se você não sabe o que são esses termos, fique tranquilo(a). Vamos explicar rapidinho.

A gamificação é um método que usa a linguagem e a dinâmica dos jogos para educar. Diante de uma matéria difícil de matemática, com problemas complexos, você pode sugerir para a criança que aquele exercício é como um vilão de um jogo e que ela é um super-herói que precisa destruí-lo para garantir a paz mundial.

As crianças estão acostumadas a “fazer de conta” e a enfrentar esses desafios em jogos. Isso irá incentivar que ela se empenhe mais, além de transformar essa atividade em um momento mais divertido.

O storytelling é uma tática parecida, que significa basicamente “contagem de histórias”. Se a criança está com algum problema para entender algum conceito abstrato de matemática, use objetos como lápis, palitos ou algo do tipo, para fazê-la visualizar o problema. Você pode até mesmo contar uma história do dia-a-dia na qual teve que usar aquele tipo de pensamento.

Passo 4# – Use os jogos e a tecnologia como aliados para desenvolver o gosto pela matemática

Apesar do receio que alguns pais possam ter com os jogos, existem exemplos de games que podem ajudar, e muito, no desenvolvimento do raciocínio lógico e aprendizado matemático.

Os jogos proporcionam algumas das qualidades que traçamos anteriormente para auxiliar no gosto pela matemática. Eles exigem reflexos, cuidados com mantimentos, criação de estratégias e até podem ser diretamente direcionados ao ensino de matemática.

Isso tudo parece incrível, mas imagine como os efeitos que uma postura realmente positiva com a tecnologia pode gerar no aprendizado matemático.

Afinal, tudo o que existe no mundo digital é construído por meio da matemática. É por isso que o ensino de programação pode ser uma grande ferramenta no cultivo do gosto pela matemática.

Se seu filho(a) adora tecnologia e jogos, é de se imaginar que a sua alegria ao desenvolver seu próprio jogo possa transformá-lo(a) em um verdadeiro amante da matemática!

O aprendizado em grupo e com dinâmicas consolidadas de ensino pode ajudar ainda mais nesse processo. Por isso, te convidamos a conhecer os nossos cursos de tecnologia para crianças e adolescentes. Eles são cuidadosamente planejados para oferecer todos esses passos de uma maneira instigante e divertida!


 Ler mais

Resolução de problemas: por que apostar na criatividade como ponto de partida

O mundo do empreendedorismo é muito pautado na ideia de inovação, não é mesmo? Vemos uma grande proliferação de startups que atuam nos mais diversos nichos, criando novas oportunidades e alterando a paisagem dos negócios. 

O processo para criar e colocar em prática esses empreendimentos é originado a partir da capacidade de resolução de problemas. Isso é algo que sempre falamos aqui na codeBuddy, valorizando o desenvolvimento de importantes habilidades por meio do ensino tecnológico. 

Mas como é possível desenvolver a capacidade de resolver problemas? Será que podemos treinar para isso?

Nós acreditamos que grande parte dessa capacidade vem do desenvolvimento da criatividade. E, nesse sentido, que é possível trabalhar e incentivar o desenvolvimento da habilidade de criar novas soluções inovadoras. 

Quer entender mais sobre o assunto? Vem com a gente!

Resolução de problemas: por que apostar na criatividade como ponto de partida

O que é inovação?

A inovação é o processo de pensar fora da caixa, de olhar para um problema por ângulos novos e inusitados, criando novas relações e gerando possibilidades de desenvolvimento. Quando disruptiva, ela quebra todos os padrões e cria outro mais simples e barato.

Esse princípio está por trás das maiores mudanças do mundo contemporâneo. Há um tempo atrás ninguém imaginava que uma empresa que oferecia séries e filmes pagos na internet tomaria o lugar da TV e das locadoras. O mundo do entretenimento sofria com a pirataria e pouco parecia surtir efeito. Mas eis que surge a Netflix e renova toda a paisagem do mundo audiovisual, enquanto gigantes – como a rede de locadoras Blockbuster – foram fadadas ao obsoletismo. 

Esse é apenas um exemplo do  que pode ser dito em relação à várias empresas, como o Uber com as viagens e táxis, bancos digitais como o NuBank ou Inter, e até mesmo no ramo de viagens espaciais da empresa SpaceX do visionário Elon Musk. Todas essas empresas criaram formas novas de solucionar um problema já existente por meio de saídas criativas.

criatividade e resolução de problemas

Porque a criatividade? O que ela tem a ver com liderança?

Existe uma qualidade muito importante que é compartilhada pelos grandes líderes do mundo contemporâneo. São pessoas singulares, capazes de compartilhar seus sonhos com muitas pessoas. São pessoas que pensam diferente e são capazes de encontrar soluções econômicas para agir na resolução de problemas complexos, tudo com elegância e precisão.

Além disso, são capazes de mudar a vida das pessoas.

A criatividade pode ser definida como a expansão da mente para novas ideias, possibilitando que novas soluções sejam encontradas. É por meio desse procedimento que algo tão subjetivo e intocável – como os sonhos de alguém que busca liderar uma revolução tecnológica – pode se transformar em coisas materiais, como empresas, foguetes, carros elétricos autodirigidos, etc.

No mundo da tecnologia isso acontece a todo tempo. É preciso sempre criar o novo, inventando formas de comunicação, de diversão e de interação. Existem também muitos problemas para serem resolvidos, desde soluções para defeitos em códigos de programação, até a inovação em engenharia de parte físicas. Objetivos como diminuir o dispêndio de energia ou melhorar a eficácia de sensores para inteligência artificial são exemplos de problemas que exigem soluções.

Lições e outros entendimentos sobre criatividade

No que condiz à criatividade, podemos dizer que as crianças e adolescentes possuem um reservatório de totalmente fértil. Recentemente chegamos a abordar por aqui como alguns apps criados por adolescentes demonstram qualidades para mudar o mundo. Isso é um indício de como apostar na criatividade é um excelente ponto de partida para trabalharmos a resolução de problemas.

Diferente de fatores como a produtividade ou eficácia técnica, a criatividade é subjetiva e não pode ser medida. Não é possível dizer se uma pessoa é mais ou menos criativa que a outra até que os resultados de suas ações sejam transformados em realidade. Porém, acreditamos que é possível valorizar essa qualidade justamente pelo incentivo à resolução de problemas.

Abaixo, listamos algumas atividades que podem ajudar a desenvolver a criatividade, dando um canal para que ela seja aproveitada.

resolvendo problemas

Como trabalhar a criatividade e a resolução de problemas?

Jogos criativos: jogos bem selecionados podem fazer a diferença no desenvolvimento cognitivo  e ajudar muito a colocar a criatividade em prática. O Minecraft é o exemplo mais famoso, por ser um jogo muito divertido e voltado para a resolução de problemas.

Os jogadores são levados a construir universos inteiros ou jogar no modo sobrevivência. Esse é um dos motivos pelo qual esse jogo é usado em salas de aula e também aqui na codeBuddy. Jogos de tabuleiro também são clássicos aliados da criatividade e são uma ótima pedida para momentos de interação em família.

Artes em geral: um dos maiores incentivos à criatividade, para qualquer idade, é encarar uma folha em branco. Desenho, pintura são exemplos, mas também o uso de materiais moldáveis podem gerar um grande desenvolvimento cognitivo para a criatividade. O ensino de música também é uma ótima forma de desenvolver a criatividade.

Ensino de programação: essa atividade é uma ótima pedida para unir a criatividade à resolução de problemas. Na codeBuddy, incentivamos que nossos alunos aprendam a criar seus próprios jogos e entendam a linguagem por trás da tecnologia que nos rodeia no dia-a-dia.

A programação é, em si, uma atividade que trabalha com a solução de problemas de maneira criativa. Isso porque os erros e bugs são vistos como uma comunicação com o programa, mais do que um sinal de falha. Aprender com os erros para criar soluções é uma das habilidades mais valorizadas por empresas nos dias de hoje.

Praticar qualquer atividade querida: ninguém menos do que Einstein deu a deixa para entendermos a criatividade. Segundo o renomado cientista, o maior portão para desenvolver a criatividade é justamente fazer algo que dê prazer em retorno. Nesse sentido, é importante que os pais incentivem seus filhos a aprofundarem e desenvolverem seus gostos mais queridos, sejam esportes, tecnologia ou até a leitura de bons livros.

E você? Como vê a relação entre criatividade e resolução de problemas? Comente abaixo e faça parte do mundo codeBuddy!


 Ler mais

Por que crianças amam jogos multiplayer?

Jogos são multiplayer desde o início dos tempos. Se você gosta de baralho, esportes, RPGs ou qualquer atividade lúdica coletiva, saiba desde já que está em um jogo multiplayer!

Com isso, podemos definir os jogos multiplayer são atividades que dependem da participação de várias pessoas. Elas se unem em grupos ou equipes e estabelecem um objetivo. Alguém duvida da diversão que virá em seguida?

Com a passagem do tempo e o advento da tecnologia, os games foram desenvolvidos visando outras possibilidades. Os consoles mais antigos levaram a atividade para dentro da sala de casa: clássicos como Street Fighter e Mortal Combat agitavam o dia a dia de crianças. O Playstation e Nintendo 64 possibilitavam que até quatro crianças jogassem ao mesmo tempo!

Quando a banda-larga chegou, é claro que esse ambiente se expandiu ainda mais. Criaram-se grupos, equipes e torneios para que pessoas do Brasil e de qualquer outra parte do mundo interagissem em tempo real. Um exemplo é que League of Legends permite isso tanto quanto o antigo Ragnarok.

Considerando que o humano é um ser social… É claro que isso foi determinante para o sucesso desses e outros games. Especialmente numa época que se conectar com pessoas de qualquer parte do planeta depende de uma plataforma e da internet!

Mas este não é o único fator. Por isso, separamos alguns dos principais pontos que fazem dos jogos multiplayer queridinhos das crianças. Acompanhe a gente:

Jogos multiplayer propiciam uma experiência imersiva

O desejo por aventura é algo natural em adultos, imagina então em crianças e adolescentes que ainda estão definindo seus limites e possibilidades. Não à toa que grandes fenômenos culturais, como a série Stranger Things ou mesmo a franquia Star Wars, lidam com cenários catastróficos, batalhas entre o bem e o mal, e aventuras de todo o tipo.

Os jogos multiplayer entregam essa possibilidade de maneira sensorial todos nós. Especialmente quando as dinâmicas de funcionamento do jogo nos obrigam a criar estratégias, dividir atividades em grupo e conquistar a tão desejada agilidade de movimentos.

É o caso do LoL, um dos multiplayers mais famosos entre crianças e adolescentes. Ou mesmo de jogos para adultos que não necessariamente se encaixam no formato multiplayer, mas definitivamente exige o pensamento estratégico, como The Last of Us ou Horizon Zero Down.

Em outros casos, como no queridinho Minecraft, a experiência imersiva se dá na produção de um mundo com possibilidades infinitas. Você pode construir uma casa, uma cidade, inventar um verdadeiro império e depois conduzir as atividades nesse lugar. Ou pode jogar em um mundo pronto, interagir com gente do mundo todo e criar todo tipo de relação. 

Assim, a experiência de participar de jogos multiplayer pode ser cheia de adrenalina e raciocínio lógico, fazendo a criança se sentir parte de algo maior. Além disso, traz um senso de independência que, especialmente na adolescência, ganha força.

Mas todos sabemos que esse tipo de relação pode gerar vício, e é aí que o papel dos pais em entender a vontade de jogar ao mesmo tempo em que traça limites tem que falar mais alto. É preciso manter um contato próximo com a criança para entender esses limites e o tempo ideal do uso da tecnologia.

A comunidade do mundo dos games no “mundo real” é enorme

Um medo dos pais quanto aos jogos eletrônicos é que seus filhos percam o contato com as atividades cotidianas, as vida real, para ficarem o tempo todo interagindo e convivendo em universos eletrônicos. 

De fato, o tempo em excesso na frente de telas pode gerar problemas no desenvolvimento da criança. Por isso, deve ser motivo de atenção dos responsáveis não só na quantidade (horas que a criança ou o adolescente passa em frente à TV ou PC0, mas também em qualidade (o que ela de fato está aprendendo com a atividade).

E, sabendo disso, esqueça o estereótipo nerd de que todo gamer é tímido e sedentário: isso nem sempre é verdade. O mundo dos games é muito mais diverso. E é por isso que eventos imensos, como a GameXP, optam por criar um grande parque de diversões a fim de dar conta da variedade de mundos que giram ao redor dos games.

Cite uma possibilidade, o evento dará uma atividade incrível para você se divertir. Inclusive, a codeBuddy foi a escola de tecnologia oficial da edição de 2019 justamente para mostrar que diversão e aprendizado podem andar de mãos dadas.

O mundo dos games envolve criação de livros, músicas, vídeos e até mesmo fantasias de personagens. Estamos falando de uma comunidade que consome bens tecnológicos e culturais com visão crítica e de maneira ativa.

A comunidade de games envolve, além disso, os E-Sports. Já tem um tempo que os jogos eletrônicos são levados mais a sério, tornando-se verdadeiros esportes, e não se caracterizando meramente como diversão.

Aliás, os E-Sports também evoluíram e, hoje em dia, um(a) gamer pode ganhar milhares de reais, participar de uma equipe profissional com psicólogos e treinadores e viajar o mundo, criando uma carreira internacional.

EXTRA: Se seu filho ou filha não sai do celular, sugira algum desses apps de jogos para ajudar no desenvolvimento e diversão da criança.

Os jogos multiplayer podem ser benéficos para as crianças?

Nós da codeBuddy acreditamos que benefícios podem ser alcançados especialmente quando a relação com os jogos se torna mais ativa e criativa. Eles podem, sim, ser um recurso educativo capaz de auxiliar o desenvolvimento de diversas áreas da vida.

No entanto, os benefícios do uso da tecnologia estão diretamente atrelados ao seu uso. É um dever dos pais propiciar apoio e diálogo quanto aos seus gostos e ações cotidianas. 

Além disso, se a criança ama jogos multiplayer, a melhor coisa é perceber todos os potenciais desse interesse para ajudar no desenvolvimento de habilidades que serão úteis em sua vida toda.

E até mesmo envolvê-la em atividades que possam promover a diferença para o ambiente na qual elas vivem. Esse é um dos nossos objetivos e fazemos isso tornando a criança tecnologicamente curiosa e independente.

Confira nossos cursos e entenda como a gente contribui para o desenvolvimento criativo e tecnológico do seu filho!

 Ler mais

5 motivos para não proibir seu filho de jogar League of Legends

Se você tem um filho(a) que é uma criança ou adolescente conectado, é muito provável que ele jogue no computador. Os pais mais atentos já devem ter percebido que jogar League of Legends, ou simplesmente LoL, virou febre.

Por ser um jogo altamente imersivo, no qual cada partida dura entre 35 e 50 minutos, os pais podem começar a se preocupar com o tempo passado na frente da tela. Talvez até achem que jogar League of Legends é uma forma de evitar as tarefas cotidianas e que o tempo passado no computador é sinal de vício

De fato, essa é uma questão para se prestar atenção. É preciso ficar atento e perceber se a prática (esta ou qualquer outra relacionada ao cotidiano tecnológico) está atrapalhando a vida prática e emocional de seu filho ou filha. Se acreditar que sim, é hora de sentar e ter boa conversa.

Busque entender o que está acontecendo e demonstre interesse pelo universo pessoal do seu filho. Até porque o exagero é sempre um problema. Muitos adolescentes, por exemplo, utilizam os mundos virtuais para se isolarem ou fugirem de problemas comuns. Essa é uma fase complicada, afinal, é aqui que o cérebro e a personalidade das pessoas se firmam.

Nem tudo é cem por cento bom ou ruim

Mas é possível que esse cenário negativo não seja o mais realista. Aliás, uma boa negociação inclui conhecimento de ambos os lados, certo? Então aproveite esse momento para entender como funciona o universo do jogo e conseguir negociar o tempo dos filhos no computador com o pé no chão.

Por exemplo, você sabia que uma partida raramente dura menos que 20 minutos e que é bastante comum chegar a 40 minutos? Talvez negociar tempo não seja a melhor alternativa, mas sim limitar o número de partidas por dia.

Especialmente por causa da atenção que jogar League of Legends vem ganhando ao longo dos anos, resolvemos investigar mais a fundo e responder: o quanto o jogo deve ser visto com preocupação pelos pais?

Leia nossa lista com os principais motivos para você ficar tranquilo com a empolgação do seu filho em jogar LoL e entenda como prepará-lo para esse ambiente.

olhos atentos ao computador

1. Jogar League of Legends é uma ótima maneira de treinar a percepção e os sentidos

LoL é um jogo altamente estratégico e detalhista. Para adquirir prática e se tornar um bom jogador (ou jogadora) é preciso um olhar aguçado e capacidade de coordenar a informação visual como um todo.

Assim, a resposta intuitiva dos olhos é especialmente aumentada. Além disso, a precisão de gestos e movimentos é necessária para realizar as principais ações do jogo. Por exemplo: clicar exatamente no lugar certo, na hora certa e de acordo com a situação faz uma partida ser vencida ou perdida.

Isso porque se você não conseguir se posicionar da forma correta, o dano que tomará em ataques pode ser imenso, significando perdas para o seu time.

Sério que jogar League of Legends pode trazer benefícios?

Essa dinâmica de gestos e estratégias é um dos principais sinalizadores de uma atividade que aumenta a capacidade cognitiva dos jogadores.

Além disso, LoL pode contribuir para a expansão da capacidade de adaptação e agilidade mental. O(a) bom(a) jogador(a)  precisa de uma percepção aprofundada de todo o mapa para entender o que o outro time está fazendo e se preparar para possíveis ciladas nas chamadas lanes.

Quem assiste os jogos profissionais sabe: partidas são ganhas justamente por causa dessa visão 360. Isso parece um tanto similar ao mercado de trabalho? De fato, é.

Ser adaptável e entender de todo um contexto é essencial para crescer dentro de uma empresa. Limitar-se exclusivamente à sua função e não ver o contexto geral pode ser o que te torna bom, mas em contexto de startups e empresas com gestão moderna, provavelmente não te tornam extraordinário.

E o LoL pede essa agilidade em mudança de papéis. Um atirador e um suporte podem pertencer à bot lane, mas podem suprir papéis do middle ou top conforme o jogo pedir. E se nada disso for feito em conjunto, em sintonia, bem… não vai dar certo.

trabalho em equipe e habilidades do futuro

2. Um bom jogador, ou jogadora, é um excelente gestor de problemas

LoL é conhecido como um jogo MOBA (Multiplayer Online Battle Arena). Isso significa que é um jogo interativo, no qual o jogador cria equipes e combate outras pessoas conectadas, cada qual em seu computador.

Tratando-se de uma batalha caótica e cheia de detalhes, o bom jogador precisa, necessariamente, de uma boa capacidade de gestão de problemas e de situações. Não é incomum, em jogos competitivos, um time concentrado e com rápida resposta a problemas conseguir virar o jogo.

Você precisa cuidar da saúde (o tanto de energia restante) em seus personagens, observar seu posicionamento em um mapa formado por três caminhos e uma “selva”, o quanto está gastando em itens, habilidades e magias.

Além disso, é preciso entender o tempo gasto em cada operação, localizar e atacar inimigos, formar o melhor combo de itens de acordo com seu objetivo no mapa, entre outras coisas.

O que isso tem a ver com o lado profissional?

No mundo profissional, se você não tem um bom controle de mudanças e não sabe gerenciar crises, especialmente durante projetos, seu dia a dia será muito mais desgastante do que precisa e, seu trabalho, mais propenso a riscos e erros.

A tarefa de calcular gastos, manejar pessoas em uma equipe e criar estratégias pode parecer mera forma de diversão, porém os benefícios do treinamento dessas qualidades pode criar um(a) excelente profissional no futuro.

grupo de pessoas unidas

3. Sem comunicação e trabalho em equipe, não há jogo

Diante da forma como o jogo é estruturado, pode até parecer que seu filho está se isolando do contato com outras pessoas. Essa ideia precisa acabar agora.

Isso porque LoL pode ser de grande auxílio para adolescentes introvertidos e com dificuldades para se comunicar. Por meio de um objetivo comum, os jogadores são levados a coordenar ações em conjunto, manejar o tempo e dividir tarefas. Tudo isso de acordo com estratégias e objetivos que podem mudar a qualquer momento para que o jogo possa ser vencido.

Essa atividade gera efeitos benéficos tanto na vida pessoal quanto na vida profissional. Afinal, capacidades de organização e manejo de projetos são ideias em qualquer empresa moderna.

Muito se debate sobre o ambiente tóxico que essa liberdade de comunicação pode gerar, porém é importante ressaltar que qualquer má conduta durante uma partida pode ser acusada e, o jogador responsável por ela, punido com bloqueio da conta.

Incentive seus filhos a não deixarem jogadores menos dispostos a manter o clima da partida positivo passem desapercebidos. A Riot Games, responsável por League of Legends, está mais atenta a estes problemas e pensa em estratégias para miná-los. A melhor, por enquanto, é o “mute” durante o jogo e a denúncia ao final da partida.

Jogar League of Legends não precisa ser preocupante

4. Desperta o interesse pela tecnologia

Um ou uma gamer tem ser interessado por tecnologia. Começando pelos equipamentos utilizados para o jogo: mouses especiais, configurações da máquina e habilidades relacionadas a melhorar o desempenho dela.

Não à toa um jogador ávido possui uma grande capacidade para entender e lidar com eletrônicos. Além disso, muito frequentemente, crianças e adolescentes querem saber como seus jogos favoritos foram criados. Com isso, aproximam-se de áreas cada vez mais importantes para o mundo contemporâneo, como a programação de computadores e a robótica.

Trabalhar esse interesse pode ser um grande salto para uma especialização que é pouco encontrada no mundo do trabalho. Na codeBuddy, por exemplo, os(as) alunos(as) aprendem a criar seus próprios jogos, adotando uma postura ativa e positiva em relação à tecnologia.

Eles podem solucionar problemas reais e utilizar seus conhecimentos para propagar o bem, como foi o caso de uma professora ao criar o app Baleia Rosa ou dos adolescentes que decidiram colocar a mão na massa e mudar o mundo.

Profissão gamer: jogar League of Legends é para todos

5. Profissão gamer é uma possibilidade

Uma tendência em crescimento são os chamados E-Sports. Essa área é levada por jogadores que se transformam em verdadeiros profissionais, disputando contra equipes do mundo todo e concorrendo a prêmios milionários.

Existem vários times brasileiros que concorrem em títulos como o campeonato brasileiro de LoL (chamado CBLoL) e só os melhores de cada torneio vão para os mundiais. O investimento parece risório? Não se espante ao saber que clubes, como o Flamengo, estão formando suas próprias equipes e disputando esses espaços.

Muitas vezes os pais veem os jogos apenas como diversão e não visualizam a abrangência deste universo. Existem grandes canais de comunicação, eventos de games e um mercado que só cresce, expandindo a economia e alimentando novas áreas que unem diversão, aprendizado e profissionalismo.

A Game XP, por exemplo, é um desses eventos. Ele acontece no Rio e, precisamos compartilhar a novidade: a codeBuddy é a escola de programação oficial do evento!

exagero de computador e tecnologia na adolescência

Mas e o exagero?

Vale ressaltar que não falamos tudo isso para dizer que tudo bem seu filho ficar o dia inteiro sem fazer nada mais que jogar. Absolutamente nada em exagero é bom. Mas, sim, League of Legends é uma opção interessante para passar o tempo, desenvolver habilidades e até mesmo ganhar dinheiro.

Proibir o jogo não é a melhor saída, mas boas conversas e inteirar-se do contexto no qual seu filho(a) participa, é sim. Estando ao lado do seu filho em seus interesses e desafios, e ensinando-o a lidar com a parte mais desagradável da vida online, não precisa se preocupar.

O máximo que pode acontecer é seu(a) filho(a) acabar desenvolvendo um jogo novo e transformar o mundo dos games, como inclusive algumas mulheres já fizeram.

Vale ressaltar que a vice presidente do Google começou justamente lidando com games. Então por que não incentivar seu filho a ir mais longe usando seu interesse por tecnologia para se divertir e fazer a diferença?


tudo que você precisa saber sobre o mercado de trabalho do futuro
 Ler mais

10 habilidades do futuro essenciais para se manter no mercado de trabalho

Já não é mais segredo: o sucesso está reservado para quem busca desenvolver habilidades do futuro. Quer descobrir quais são elas? A codeBuddy te ajuda!

Com a ascensão da tecnologia, mudanças de todos os tipos começaram a acelerar nossa sociedade. O que antigamente parecia um sonho futurista, hoje já é realidade.

Justamente pelo ritmo de inovações que mudam a paisagem do mercado de trabalho, é possível prever algumas tendências que podem ajudar quem quer se preparar e garantir o sucesso familiar e profissional.

Para facilitar a sua navegação pelas habilidades mais importantes que serão requisitadas, adiantamos o trabalho para você, selecionando as 10 competências mais importantes para preparar-se para o mercado de trabalho do futuro. Vamos conferir?

inovação no mercado de trabalho do futuro

1 – Capacidade de adaptação

Essa competência é um efeito direto do ritmo acelerado de inovações tecnológicas. O mundo das startups — empresas novatas capazes de criar saídas inovadoras para necessidades sociais — é um sinal desses novos tempos.

Quando o mundo muda, precisamos descobrir novas formas de existir. Assim ocorreu com a indústria audiovisual quando surgiu a internet. Os serviços de streaming — como Netflix e Spotify — são respostas de uma indústria que foi capaz de se adaptar aos novos tempos.

O segredo é sempre ficar ligado ao que está acontecendo, utilizando as ferramentas do mundo moderno em nosso favor. Juramos: não é tão difícil quanto parece.

boa comunicação é uma das habilidades do futuro

2 – Boa comunicação

A inteligência artificial promete ser uma das inovações com maior efeito no mundo do trabalho: atividades tradicionalmente executadas por pessoas serão automatizadas.

A ironia é que esse processo acaba por valorizar qualidades que são especialidades humanas. Nos últimos anos, observamos o crescimento e a inovação de áreas como marketing, criação de conteúdo, design e até mesmo setores artísticos como música, filmes, séries e espetáculos.

Pessoas criativas farão a diferença nessa realidade e ficar para trás não é uma opção para ninguém. Criatividade é a palavra-chave para solução de problemas, afinal de contas.

a lógica como uma das habilidades do futuro

3 – Resolução de problemas

Falando nisso, está aí uma habilidade que será importantíssima no futuro e que já começa a demonstrar sinais de força hoje. Já parou para pensar na sua capacidade de resolver problemas? Dica: observe a simplicidade das soluções que seu filho, ou filha, propõe.

E precisamos falar de novo das startups. Elas são o símbolo da solução inovadora para um problema tradicional e a mentalidade que elas propagam é carro-chefe do mundo em que vivemos — especialmente quando nos referimos ao empreendedorismo.

Curiosamente, porém não surpreendente, essa habilidade do futuro pode ser trabalhada de maneiras indiretas como em jogos, ensino de programação de computadores e outras atividades ligadas ao desenvolvimento da lógica.

cérebro ou sentimento? ambos

4 – Inteligência emocional

Termo criado por Daniel Goleman, não é segredo para ninguém que o mundo contemporâneo pode ser um tanto estressante e saber lidar com ele é um baita diferencial.

Afinal, o excesso de informação, a sensação de conectividade constante e as pressões sociais tornam problemas como a ansiedade o “mal do século”. Desenvolver a inteligência emocional é, portanto, aplicar a capacidade de inovar na própria vida, cuidando da saúde mental por meio da resiliência.

Importante na vida pessoal, essa é uma das habilidades do futuro mais importantes da vida profissional. Já sabemos que as carreiras do futuro podem ser extremamente recompensadoras e gerar grandes frutos, o que naturalmente vem acompanhado de muita exigência.

Exercícios físicos, meditação e dietas equilibradas serão essenciais nessa preocupação com o nosso bem-estar frente às adversidades.

a boa escrita é habilidade imprescindível para o futuro

5 – Boa escrita

A inteligência artificial já consegue responder mensagens, atender clientes e preencher formulários. É aquele robô que te atende antes de passar para um funcionário de um banco e, às vezes, até resolve o seu problema sem que você precise falar muito.

Isso não significa a morte dos textos acadêmicos, artigos de jornal, blogs ou romances best-seller estrelando a lista do The New York Times. Nada se compara ao ser humano. Por isso mesmo, sua capacidade será extremamente valorizada.

Mas quem pensa que a boa escrita é válida apenas para o mundo do entretenimento ou da informação, calma lá: essa habilidade será imprescindível nas empresas.

Você sabia que hoje o maior problema dentro de um projeto é justamente a comunicação? É por causa da sua precariedade que informações não são repassadas de forma completa e ideias não são bem-sucedidas.

A boa escrita de e-mails, documentos, atas e memorandos é essencial para esse novo cenário.

robôs como soluções para o futuro

6 – Especialização tecnológica

A tecnologia será a grande imperatriz do futuro e promete mudar a paisagem dos trabalhos. Todos eles. Nem por isso nos livramos do que precisa ser criado, mantido e trabalhado por pessoas.

Vemos, hoje, um grande déficit de profissionais em empresas que buscam mão de obra qualificada para trabalhar em setores de tecnologia da informação.

Linguagens de programação (como CSS, HTML, PHP e Javascript) estão em constante evolução, tornando mais difícil a formação de profissionais que conheçam front e back end com competência para lidar com os mais diversos tipos de sistema.

Você considera seu filho capaz de se adaptar? Pois isso fará total diferença no dia a dia profissional dele.

robótica para crianças e adolescentes

7 – Conhecimentos de robótica

Robôs já são uma tendência gigantesca, algo previsto por grandes escritores da ficção científica que, como sabemos, na maioria das vezes vinham de áreas como a física, matemática, medicina ou direito. Jamais esqueceremos do sucesso estrondoso de Eu, Robô livro escrito por Isaac Asimov e publicado pela primeira vez nos anos 1950.

Sabemos que o processo para isso começou há décadas, desde que os primeiros sistemas automatizados foram inseridos em grandes indústrias de automóveis e eletrônicos. Um movimento conhecidíssimo dessa época é o fordismo, sistema de produção em massa.

A surpresa é que o futuro promete uma expansão grandiosa de automações em nosso dia-a-dia. Sabe aquele robozinho que limpa o chão sem você precisar fazer nada além de recarregá-lo? Ele é apenas o começo. O futuro tem nome e é machine learning.

E claro que nem tudo é pressão, vale lembrar um pouco do filme Gigantes de Aço, que mostra como a construção de robôs pode ser extremamente gratificante e divertido.

robótica no mercado de trabalho

8 – Prática deliberada

Como vimos, o futuro pretende agitar e acelerar a necessidade de aprendizado e otimização dos humanos. A boa notícia é que técnicas que ajudam o aprendizado estão mais avançadas e disponíveis para todos.

O EAD nunca foi tão acessível e feito com qualidade quanto hoje, e o futuro promete ser boa parte dele. Economia de tempo, dinheiro e a organização própria de cada rotina nos permite dar passos mais largos.

E é por isso que a prática deliberada é uma maneira inteligente de aprender uma nova habilidade. A ideia é focar totalmente no que se está aprendendo e prestar atenção — especialmente — aos erros e dificuldades.

Essa prática se baseia em três principais aspectos: concentração (foco!), busca por ajuda (juntos somos mais fortes) e determinação (alô resiliência!).

liderança é uma das habilidades do futuro

9 – Liderança

Uma pessoa com a habilidade da liderança não é apenas uma conhecedora da área e uma boa comunicadora. A liderança exige uma capacidade muito importante: a visão do todo.

Um bom líder é como um maestro em relação à orquestra. Seja ele homem ou mulher, é quem dita o ritmo, organiza e cuida para que todas as peças funcionem em harmonia. A liderança não só evita problemas, como resolve qualquer situação que aparecer sem perder a linha.

Ao contrário do que possa inicialmente parecer, a liderança não deve ser pensada apenas em cargos mais altos. No futuro, ser líder é ter a visão do todo, e ter a visão do todo é estar sempre um passo à frente.

Mais uma vez, os recursos humanos se mostram essenciais para a dinâmica das organizações.

Foco e concentração não são habilidades robóticas

10 – Foco e concentração

Falamos brevemente sobre ambos acima, mas, convenhamos: vivemos em um mundo saturado de informação. Uma das nossas maiores dificuldades é nos concentrar em uma coisa só, lutando contra o impulso de checar as redes sociais ou conversar por um chat.

Mais do que uma questão de comportamento, essa dispersão prejudica a capacidade de uma pessoa fazer uma coisa de cada vez, o que diminui a produtividade e a qualidade do que está sendo entregue.

Treine essa competência lendo um bom livro, como os que citamos aqui, e estimule seu filho ou filha a fazer o mesmo! 30 minutos de leitura por dia podem aumentar sua capacidade de foco e sua criatividade, e ainda te deixar mais culto!

Quer saber mais sobre o futuro tecnológico? Assine nossa newsletter e nunca perca uma novidade!


Banner Mulheres na Tecnologia
 Ler mais

Como a tecnologia ajuda o desenvolvimento educacional do seu filho?

A tecnologia revolucionou os hábitos de vida e a forma como nossa sociedade se organiza e avança. Passou a fazer parte, praticamente, de todas as atividades cotidianas, e nos deu um melhor amigo, até mesmo no que diz respeito ao desenvolvimento educacional: o celular.

Não é só em todas as atividades que ela está presente, mas também em todas as faixas etárias. Dos bebês aos idosos, é cada vez mais difícil encontrar quem não tenha se rendido aos encantos dos aparatos tecnológicos.

No entanto, uma nova recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) despertou um alerta e provocou uma reflexão: como a tecnologia influencia na educação das crianças.

De acordo com a cartilha, crianças de até 1 ano não devem ter contato com as telas, e as menores de 5 podem utilizar com restrições. O que significa reduzir o uso dos aparelhos para no máximo 1 hora por dia.

Isso sinaliza uma investida contra a tecnologia?

Não. De forma alguma equilibrar as atividades infantis com a utilização de tecnologia deve ser enxergado como uma ofensiva. Sua contribuição para o desenvolvimento das crianças é reconhecido de forma geral por especialistas.

Todavia, a questão abordada pela OMS é relativa, sobretudo, ao excesso. O alerta, na verdade, deve ser direcionado não às crianças, mas aos pais. Muitas vezes, por comodidade ou por autonomia de tempo, as tecnologias são exageradamente incorporadas à rotina familiar.

Assim sendo, como fazer dela uma aliada no desenvolvimento infantil?

Como a tecnologia ajuda o desenvolvimento educacional do seu filho?

O limiar entre entreter e aprender

Não é difícil encontrar plataformas e aplicativos que ajudem (e muito) na didática do aprendizado. Seja através de videoaulas, de metodologias digitais ou até mesmo aprendendo sobre o funcionamento dessas máquinas. São inúmeras as possibilidades que a tecnologia apresentou como uma soma positiva de saberes. Não precisa ir muito longe para entender que essa nova maneira de compreender o mundo veio para ficar.

Basta reconhecer que todas as crianças nascidas após os anos 2000 chegaram em uma sociedade completamente conectada e informatizada. São crianças que crescem acompanhando novidades do Brasil e do Mundo em questões de segundos.

São pessoas que possuem mais amigos virtuais do que os presenciais, são autodidatas e, desde muito cedo, ensinam e aprendem na mesma proporção. É fundamental compreender que elas nunca conheceram nada diferente disso.

Isso não é ruim, é diferente do que as gerações dos pais dessas crianças costumavam ver, e a conciliação acaba sendo o grande segredo deste convívio.

É preciso se adaptar e acostumar com esta nova percepção de mundo, e, principalmente, viabilizar que essa nova dinâmica resulte em descobertas importantes para toda a humanidade.

É, por isso, que os brinquedos de antigamente já não são mais tão empolgantes para uma criança millennial — os nascidos após 2000. Não existe o maniqueísmo entre melhor ou pior, existe a diversidade e a proporcionalidade.

A via que torna essa relação harmoniosa é aquela que extrai todo o potencial de ambas as realidades. Logo, aquela que usufrui tanto deste novo universo, quanto das já tão conhecidas formas “analógicas” de desenvolvimento da sociedade.

Como a tecnologia ajuda o desenvolvimento educacional do seu filho?

A importância das experiências

O conhecimento é uma esfera que não tem limite e pode ser absolutamente plural e diverso. É dessa forma que o Clubinho de Ofertas enxerga e valoriza o conhecimento a partir das experiências.

Pode ser por meio de uma peça teatral, de um museu interativo ou um parque radical. A ciência, o pensamento ou as grandes ideias não são restritivas, muito menos iguais. Cada ser humano é capaz de sentir e nutrir aprendizados completamente diferentes a partir da mesma vivência. As crianças de hoje possuem o mundo nas mãos e se comportam como tal.

Nessas condições, pais, professores e toda a sociedade tem o compromisso de orientar esse desempenho. Como? Equilibrando as experiências sensoriais e afetivas ao mesmo passo que se soma os benefícios trazidos pelas tecnologias.

É deixar para trás a ideia de que preparamos nossos filhos para o futuro, e admitir que o futuro já chegou. Hoje, educamos crianças que possam enfrentar com maturidade e perspicácia os grandes e complexos desafios da nossa sociedade.


Por Erika Zordan
Mineira de raiz, carioca de coração, apaixonada por histórias e que acredita muito no poder de transformação da educação.


programar desde cedo

 Ler mais

5 competências que farão a diferença na vida do seu filho

I hurried into MCSD 70-486 Exam the local department store to 1Z0-061 pdf grab1 some 200-310 dumps last minute Chirsmas gifts. I looked 200-310 dumps at all the people and grumbled2 to Itcertpasses myself. I would be in here forever and I just had so much to do. Chirsmas was beginning to become such a 70-532 dumps drag. I kinda wished that I 210-260 dumps could just sleep through Chirsmas. But I hurried the best I could through all the people 200-310 dumps to the toy department. Examprepwell Once again I kind of mumbled3 to myself at 210-260 dumps the prices of Examprepwell all these toys, and wondered if the MCSD 70-486 Exam grandkids would even play whit4 them. I found myself 210-260 dumps in the doll aisle5. Out of Itcertpasses the corner of my eye 200-310 dumps I saw a little boy about 5 70-532 dumps CCNP Collaboration 300-080 Exame 1Z0-061 pdf holding a 210-260 dumps lovely doll.He kept touching6 her hair and he held her so gently. CCNP Collaboration 300-080 Exame I could not seem 210-260 dumps to help 210-260 dumps myself. Examprepwell I just kept loking 1Z0-061 pdf over at the little boy and wondered who the doll was for. I watched him turn Itcertpasses to a woman and he called his 70-532 dumps aunt by name CCNP Collaboration 300-080 Exame and MCSD 70-486 Exam said, Itcertpasses “Are you 70-532 dumps sure I don’t have enough MCSD 70-486 Exam money?” She replied a bit impatiently, “You know that you don’t have enough money for it.” The aunt told the little boy not to go anywhere 200-310 dumps that Examprepwell she 200-310 dumps had to go and get MCSD 70-486 Exam some other things and would be back MCSD 70-486 Exam in a CCNP Collaboration 300-080 Exame few minutes. And 70-532 dumps then she left the aisle. The boy continued to hold the doll. After a bit I asked the boy 70-532 dumps 210-260 dumps CCNP Collaboration 300-080 Exame who the doll was for. He said, “It 1Z0-061 pdf 210-260 dumps is the doll Itcertpasses my sister wanted so CCNP Collaboration 300-080 Exame badly for Chirsmas. She just knew that Santa would bring it. “I told him that maybe Santa was going to 210-260 dumps bring it . He said, “No, Santa can’t go where my sister is…. I have to give the doll to my Mama to take Examprepwell to her. “I Examprepwell asked him where his siter was. He looked at me Itcertpasses with the saddest eyes and said, “She was gone to be with Jesus.

My Daddy says that Mamma is going to have to go 200-310 dumps be Itcertpasses with her.” My 1Z0-061 pdf heart nearly stopped beating. Then the boy looked at me again and said, “I told my Daddy to tell my Mama not to go MCSD 70-486 Exam CCNP Collaboration 300-080 Exame yet. I told him to tell her to wait 200-310 dumps till I got Itcertpasses back from the store.” Then he asked me if CCNP Collaboration 300-080 Exame Examprepwell i Itcertpasses wanted to see his picture. I told him I’d love 1Z0-061 pdf to. He 210-260 dumps pulled out some picture he’d had Itcertpasses taken at the front of Itcertpasses the store. He said, “I 1Z0-061 pdf 210-260 dumps 210-260 dumps want my Mama 70-532 dumps to take 200-310 dumps this Examprepwell with Examprepwell her 1Z0-061 pdf 70-532 dumps so the dosen’t Itcertpasses 200-310 dumps ever forget me. I love my Mama so very much 70-532 dumps and I 1Z0-061 pdf wish she dind not have to 70-532 dumps 70-532 dumps leave me.But Daddy says she will 70-532 dumps need to be with my sister.” I saw that the little boy had Examprepwell lowered his head CCNP Collaboration 300-080 Exame and 200-310 dumps had grown so qiuet. While he was not looking I 210-260 dumps reached into my purse and pilled out a CCNP Collaboration 300-080 Exame handful of bills. I asked the little boy, “Shall 1Z0-061 pdf we count that miney one more time?” He grew CCNP Collaboration 300-080 Exame excited 200-310 dumps and said, “Yes,I CCNP Collaboration 300-080 Exame Examprepwell just know it has to be enough.” Examprepwell So I slipped my 1Z0-061 pdf money in with his and we began to count it . MCSD 70-486 Exam Of course it was plenty for the 210-260 dumps doll. He softly said, “Thank you 210-260 dumps Jesus for giving me enough money.” Then the boy said, “I just 70-532 dumps asked Jesus to give me MCSD 70-486 Exam enough money to buy this doll so Mama can take it with MCSD 70-486 Exam Itcertpasses her to give my sister. And he heard my prayer. I wanted to ask him give for enough to buy my Mama a white rose, but I didn’t ask him, 1Z0-061 pdf but he gave me enough to MCSD 70-486 Exam 70-532 dumps buy CCNP Collaboration 300-080 Exame the doll and a rose for my 1Z0-061 pdf Mama. She loves white rose so much. “In MCSD 70-486 Exam a few minutes the aunt 70-532 dumps came back and I wheeled 200-310 dumps my cart away. I could not keep from thinking about the little boy as I finished my 200-310 dumps shoppong in 200-310 dumps a ttally different spirit than when I CCNP Collaboration 300-080 Exame had started. And I kept remembering a story I had seen in the newspaper several days earlier about a drunk driver hitting a car 1Z0-061 pdf and killing7 a 1Z0-061 pdf 1Z0-061 pdf little girl and the Mother was in serious condition. The family was deciding on whether to remove the MCSD 70-486 Exam life support. Examprepwell Now surely this little boy did not belong with that story.Two days Examprepwell later I read in the paper where the family had disconnected the life support and 200-310 dumps the young woman had died. I 210-260 dumps could not forget the little boy and just kept wondering if the two were somehow connected. Later that day, I could MCSD 70-486 Exam not help myself and I went out 70-532 dumps and bought aome white roses and took them CCNP Collaboration 300-080 Exame Itcertpasses to the funeral home MCSD 70-486 Exam where the CCNP Collaboration 300-080 Exame yough woman was .And there she was holding a lovely white rose, the beautiful doll, and the picture of Itcertpasses the Itcertpasses Examprepwell little boy in MCSD 70-486 Exam the store. I left there in tears, thier life changed forever. Examprepwell The love that little boy had for his little sisiter and his mother was overwhel. And in a split8 second a drunk driver had ripped9 the life of that little boy to pieces.

Vivemos em um mundo competitivo, cheio de oportunidades, mas também de desafios. Enquanto nos preocupamos em resolver nossos próprios caminhos na vida profissional, afetiva e familiar, a tarefa de saber como educar uma criança pode ser desafiadora. Confira 5 competências que farão a diferença na vida do seu filho abaixo!

Se você deseja saber como incentivar o aprendizado das crianças, alimentar certas competências desde cedo pode ser uma tarefa essencial.

Para entender melhor a raiz dessas competências, basta prestarmos atenção nos principais problemas que os adultos enfrentam quando iniciam a vida profissional e afetiva. Insegurança, falta de foco, nervosismo e excesso de informação são alguns dos males do mundo contemporâneo.

Todos temos que lutar contra esses fatores negativos na vida adulta. Por isso, acreditamos que as competências que devem ser preparadas nas crianças baseiam-se justamente nas dificuldades que reconhecemos na vida adulta, no mundo do trabalho e afetivo.

A codeBuddy se preocupa em oferecer conteúdos originais com o intuito de auxiliar os pais no processo complexo de preparar os pequenos para o mundo. Pensando nisso, preparamos algumas reflexões a respeito de competências essenciais para a vida no mundo contemporâneo. Você pode conferi-las logo abaixo.

1 – Enfrentar problemas com sabedoria

O ambiente de trabalho, como sabemos, pode ser muito estressante. Problemas acontecem nos escritórios e se misturam com a vida familiar, gerando nervosismo e estresse.

A vida das crianças também contém seus próprios desafios. Intrigas na escola, disciplinas com as quais cria-se dificuldade, além do processo de aprender a se relacionar com os outros.

Para enfrentar problemas com sabedoria é preciso ter calma e capacidade para pensar com clareza.

A melhor forma para os pais trabalharem isso com seus filhos é ensiná-los a enfrentar os próprios problemas com calma e atenção. Uma conversa com uma criança em algum momento de dificuldade pode mudar toda a perspectiva dela sobre como encarar o problema.

Os pais devem cuidar para que não demonstrem estresse, raiva ou angústia na frente dos filhos, pois as crianças aprendem muito por mimesis, ou seja, imitando a maneira como os adultos agem.

Se você é uma pessoa que costuma resolver problemas brigando, se estressando ou jogando tudo para debaixo do tapete, então a criança pode começar a desenvolver esse comportamento.

Por outro lado, demonstrar calma e confiança na resolução de problemas permitirá que você seja um bom exemplo para seu(ua) filho(a).

2 – Aprender com os erros

Uma das questões básicas da psicologia humana é o fato de vermos os outros como espelhos. Consideramos nosso lugar social pela maneira como as pessoas nos percebem e tomamos decisões morais de acordo com o que a sociedade considera correto.

Esse funcionamento básico da sociedade pode resultar na incapacidade de aprender com os erros, pois ao errar nos sentimos fracassados, incapazes, imobilizados.

No entanto, é justamente pelo erro que podemos aprender a fazer o certo. Um bom exemplo é a programação de softwares. São os bugs e erros de um programa que informam ao desenvolvedor os pontos em que o trabalho pode ser melhorado.

Na vida é a mesma coisa. Tirar nota baixa em uma prova pode deixar uma criança amuada, se sentindo burra. Esse sentimento não ajuda a melhorar, muito pelo contrário.

A criança deve entender que o aprendizado é um processo que passa pelo erro. Por isso, os pais devem aceitar as falhas dos filhos ao invés de puni-los.

Aprender a ver os erros positivamente pode ser um grande diferencial na vida adulta, na formação de uma pessoa confiante e segura de si mesmo.

5 competências que farão a diferença na vida do seu filho

3 – Responsabilidade social

Empatia é uma qualidade muito valorizada no mercado de trabalho, hoje em dia. Todas as grandes empresas têm em comum a presença de líderes que conseguem compreender as necessidades das pessoas. Sabem como podem criar um produto que resolva o problema delas, pois entendem como se sentem.

Essa capacidade surge na infância. A responsabilidade social é o cuidado que temos com nós mesmos e com o mundo ao redor.

Uma criança pode ser muito educada apenas porque foi ordenada a ser. O que faz realmente diferença é uma criança que não joga lixo no chão porque entende o trabalho envolvido na sociedade para que as ruas estejam limpas.

Da mesma forma, uma criança que compreende o impacto de suas ações no mundo correrá menos risco de praticar bullying contra os outros, e de criar tendências de isolamento — um problema que abate muitos adolescentes nos anos seguintes.

4 – Capacidade de foco e concentração

Com a ascensão da internet, as crianças crescem cada vez mais imersas em um oceano de informações. As possibilidades são infinitas: jogos, chats, artigos, vídeos, conversas e notícias que nos bombardeiam por todos os lados.

Nas escolas, uma das maiores dificuldades dos professores é justamente lutar pela atenção dos alunos que estão sempre conectados com seus gadgets.

Essa cultura do “multitarefa” tem ocasionado uma perda da capacidade das crianças de foco e concentração por longos períodos de tempo.

Os pais podem incentivar diretamente esse processo considerando a quantidade ideal do uso da internet e incentivando atividades que auxiliam o raciocínio lógico das crianças

5 – Estabilidade emocional

Crescer é uma tarefa difícil. Na medida em que as crianças vão se desenvolvendo, é normal que padrões de comportamento comecem a se instaurar na forma como lidam com situações difíceis.

A questão é que sempre existirão situações difíceis na vida e isso aprendemos logo na primeira juventude.

Os pais entendem isso, afinal são adultos que já enfrentaram muita situações e tiveram que encontrar a melhor forma de lidar com tudo.

É por isso que o apoio e a conversa com os filhos é essencial para que criem mais estabilidade emocional. Essa sabedoria implica em passar por situações complicadas sem perder o controle, sem se abalar em demasia.

O que, convenhamos, para o ambiente profissional certamente é uma das competências que farão a diferença na vida do pequeno.

De certo, é justamente nesses momentos que uma criança pode entender como contar com os outros, como pedir ajuda sem se sentir envergonhada e prosseguir de cabeça erguida.

Se todos os adultos fossem capazes de aplicar essas competências, será que não viveríamos em um mundo melhor?

Assim, podemos dizer que as competências que farão a diferença na vida das crianças são as mesmas que podem fazer a diferença em nossas vidas.

O que você acha dessa ideia? Reconhece outras competências que são essenciais na vida das crianças? Comente abaixo.

E, se quiser saber um pouco mais sobre como ajudar no desenvolvimento de seu filho, leia o artigo com 3 soft skills importantes no desenvolvimento de crianças e adolescentes.


programar desde cedo

 Ler mais

    wpChatIcon