Ir para o conteúdo

6 dicas para ajudar seu filho a se concentrar para estudar em casa

Com tantas horas que precisamos passar em casa ultimamente, é muito importante fazer com que crianças e adolescentes entendam que o hábito de estudar não pode se perder. O tempo livre existe, e conseguir se concentrar é um desafio até para os adultos, mas essas dicas vão ajudar você a contribuir para um ambiente perfeito para o estudo de seus filhos.

O primeiro ponto importante é entender e aceitar que crianças são naturalmente cheias de energia e empolgação. Se uma matéria não é divertida, fazer com que elas vençam o tédio e aprendam pode parecer bem difícil. Entretanto, é justamente nessa época que elas descobrem os frutos de uma boa concentração. Olha a oportunidade!

Separamos 6 dicas que trabalham esse engajamento especial. Confira abaixo:

1- Criando um ambiente ideal

Crianças possuem personalidades e gostos distintos. Algumas são capazes de de se concentrar melhor em um ambiente totalmente silencioso. Outras, respondem com mais atenção com ajuda de uma música clássica ou de um áudio com sons da natureza.

Existem várias opções hoje em dia, como as batidas binaurais, conhecidas por aumentarem a concentração. Música clássica também é uma ótima solução para abafar o barulho e estimular a concentração.

Para evitar distrações, deixe tudo ao alcance: apostilas, cadernos, livros, aparelhos, água – e bom estudo!

2 – Definindo um tempo ideal para as atividades

É natural do ser humano que haja um período limite para a concentração. Não adianta exigir horas de foco – o cansaço mental que isso vai gerar pode inclusive desestimular horas de estudo seguintes.

A dica então é traçar uma duração para a atividade, por exemplo: 20 minutos de tabuada ou de problemas de matemática, seguido de uma pausa. Para não se ver obrigado a pausar uma tarefa no meio, quebre-a em partes menores. De bônus, a sensação de completude irá ajudar a manter o foco na próxima etapa. 

3 – Alimentando-se bem

alimentando-se bem

Existem alguns tipos de alimentos que ajudam e outros que atrapalham a concentração. O café, por exemplo, é uma baita pegadinha – apesar de ajudar a manter o foco no momento em que é ingerido, a queda de energia depois atrapalha o andamento de qualquer atividade.

Alimentos com açúcar têm problema similar. Eles deixam crianças ainda mais agitadas, e ficar sentado pode ser bem mais difícil depois de comer alguns biscoitos recheados. Não estamos dizendo para acabar com eles, mas planeje um almoço com alimentos verdes, proteínas e grãos. Deixe as “besteiras” para mais tarde.

DICA EXTRA: A quantidade também importa. Se a criança comer demais, é muito provável que acabe sonolenta e desconcentrada.

4 – Deixando o multitasking de lado

Ser multitask não é tão legal quanto parece. Estudos confirmam que, quanto mais tarefas tentamos fazer ao mesmo tempo, menos somos efetivos na execução. Além de prejudicar a atenção, contribui para que deixemos tarefas inacabadas e ainda assim tenhamos aquele sentimento de exaustão.

Ajude a criança a organizar as tarefas e demandas. Deixe que ela escolha o que quer estudar primeiro e supervisione para que ela siga a ordem proposta. Nem tudo precisa ser tão minimamente calculado, mas, nesse primeiro momento, isso é importante para estimular a criação de uma nova rotina.

5 – Liberando energia nas pausas

Sabe aquela pausa sobre a qual falamos ali em cima? Aproveite-a para liberação de energia. Corrida, brincar com o animal de estimação, fazer um lanche leve ou praticar algum exercício são boas opções para liberar energia.

Para voltar ao momento concentrado, proponha uma meditação curtinha. Tem vários aplicativos que fazem meditação guiada de 5 minutinhos – e esse tempo já é o suficiente para “voltar aos eixos”. Fizemos até uma playlist que super pode ajudar nesse momento! Escute clicando aqui.

6 – Aprendendo com diversão

Utilize-se de algumas sacadas para ajudar a criança a se divertir na atividade. Elementos visuais são ótimas maneiras de fazer isso: incentive que a criança desenhe conceitos ou utilize elementos reais para calcular e aprender lógica.

Além disso, um sistema de recompensa pode ser o ponto que faltava. Essa recompensa não precisa necessariamente ser composta de doces ou chocolates. Se a criança, por exemplo, ama aprender a programar jogos, ela poderá fazer isso depois de estudar história e geografia por uma hora. Dessa forma, o próprio aprendizado vira recompensa!

É super importante deixar claro para a criança o que ela poderá fazer depois das horas de estudo. Jogar futebol no play, assistir desenhos ou jogar no computador são excelentes atividades que podem ser feitas depois de estudar em casa.

O truque é utilizar o que temos no dia a dia para estabelecer rotinas saudáveis e produtivas, sabendo que naturalmente teremos uns dias melhores do que outros – e tudo bem!

Por fim, deixa eu te contar que temos mais dicas esperando por você. Fique por dentro do que está acontecendo e do que mais pode facilitar seu dia a dia!

0 Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*