Habilidades e competências

Dislexia Infantil: conheça as principais características

Cadastre-se

E receba conteúdos exclusivos!


Toda mãe já ouviu falar em dislexia, mas poucas pessoas sabem exatamente o que essa condição significa.

Em primeiro lugar, é preciso deixar bem claro que dislexia não é uma doença e, portanto, não pode ser tratada por remédios. A dislexia é caracterizada por uma dificuldade no aprendizado que se não percebida e acompanhada precocemente pode ser prejudicial na vida escolar do seu filho.

Acredita-se que essa condição seja de caráter hereditário, ou seja, quando uma pessoa na família é disléxica, provavelmente surgirão outros casos.

Antes de conhecer um pouco mais sobre a dislexia, quero deixar bem claro que essa condição, apesar de requerer tratamento, não impossibilita que a criança tenha um futuro brilhante.

 

Uma criança disléxica é saudável e inteligente; ela apenas precisa de ajuda especial no aprendizado.

O mundo está repleto de disléxicos famosos: Albert Einstein, Walt Disney, Leonardo DaVinci, Steven Spielberg, Steve Jobs, entre outros, conseguiram passar pelos desafios e construir uma carreira de sucesso.

 

O que é dislexia?

 

Pedagogicamente falando, a dislexia é um distúrbio genético e neurobiológico. Isto significa que o caminho que as informações percorrem para chegarem e serem decodificadas pelo cérebro é desorganizado.

 

Essa desorganização – que nada tem a ver com preguiça, má vontade, enrolação ou quaisquer outros adjetivos pejorativos, que normalmente são usados até que se descubra que a criança é disléxica – prejudica o processo de compreensão e aprendizado da ordem das letras na escrita e na leitura.

 

A criança portadora de dislexia tem dificuldades em estabelecer a conexão que as letras têm com os seus sons. Provavelmente você já deve ter visto crianças que trocam a letra“p” pela letra “b”, ou a letra “r” pela letra “l”, como o Cebolinha da Turma da Mônica.

 

A dislexia pode apresentar graus diferentes de intensidade e o mesmo acontece com os sintomas e sinais: eles variam de acordo com os graus do distúrbio.

 

Principais sinais e sintomas da dislexia

 

OBS: SOMENTE UM ESPECIALISTA É CAPAZ DE DIAGNOSTICAR A DISLEXIA. OS SINAIS E SINTOMAS DESCRITOS AQUI SÃO MERAMENTE ILUSTRATIVOS E NÃO SUBSTITUEM OS EXAMES E TESTES ESPECÍFICOS PARA FECHAR O DIAGNÓSTICO.

 

Desde a primeira infância é possível perceber alguns sinais que podem indicar que a criança poderá ser disléxica. São eles:

 

Antes da fase escolar:

 
  • A criança demora a engatinhar, sentar ou andar. O desenvolvimento motor varia muito de criança para criança, portanto, o acompanhamento de um especialista contribui para que essa fase seja observada corretamente

  • Deficiência ao começar a falar e a criança apresenta bastante dificuldade em compreender o que está sendo dito a ela.

  • Sono inquieto com a presença de distúrbios como agitação, balbucio de palavras, entre outros.
 

Na fase escolar:

 
  • A criança portadora de dislexia pode ler ou escrever de forma invertida, por exemplo, escrever “tora” em vez de “rato”, ou “ovôv” em vez de “vovô”.

  • É comum que as crianças portadoras de dislexia “comam” letras ao escrever as palavras. Por exemplo, “marelo” em vez de “martelo”.

  • A confusão entre letras que apresentam sons semelhantes é bastante comum: trocar “p” e “b”, “d” e “b”, “p” e “q”, entre outras.
  • A criança disléxica também apresenta grande dificuldade em compreender as instruções dos professores ou enunciados de exercícios e outras atividades.

  • Ela, também, pode ter dificuldade em adquirir vocabulário, apresentando um palavreado pobre e confuso.

  • A criança disléxica também pode apresentar dificuldades em reconhecer e compreender rimas.

  • A leitura é deficiente, sem compreensão e separada em sílabas.

  • Em vez de ler as palavras, tenta adivinhá-las. Por exemplo, ao ver “família” escrito, ela pode ler “fa-MOSO”.

 

O tratamento para a dislexia

  • Save

Os especialistas indicados para acompanhar o desenvolvimento de uma criança portadora de dislexia são o pediatra (com quem a criança terá o primeiro contato e poderá perceber a necessidade de tratamento), o fonoaudiólogo e o psicopedagogo.

 

O fonoaudiólogo auxiliará a criança com os sons das palavras e o ritmo da fala. O psicopedagogo tem um papel fundamental na vida escolar, pois é quem irá auxiliá-la no processo de alfabetização.

 

É imprescindível que o coordenador pedagógico do colégio da criança seja avisado sobre a condição e tenha acesso às informações do psicopedagogo para que a criança possa acompanhar o ritmo escolar de maneira tranquila.

 

Nos casos em que o diagnóstico de dislexia leva mais tempo para ser fechado, a criança poderá precisar passar com um psicólogo, pois pode se sentir em desvantagem em relação aos colegas – ou até ter sofrido bullying por ter dificuldade no aprendizado – e precisará de apoio para que isso não se torne um trauma.

 

Paciência, carinho e apoio são os melhores remédios

  • Save

 

O apoio dos pais durante todo o processo de fechamento de diagnóstico e tratamento é importantíssimo para a adaptação de seu filho.

 

Mostre à criança que ela não é diferente de ninguém e que poderá (e vai!) levar uma vida normal, com tudo que ela merece de bom!

 

Seu amor e paciência serão tudo o que ela precisa para seguir em frente! Boa sorte!