Liderança e empreendedorismo

Snapchat vs Instagram: como eles fazem parte da vida do seu filho

Cadastre-se

E receba conteúdos exclusivos!


Enquanto os pais estão se entendendo com o Facebook, os filhos estão explorando o mundo visual das comunicações diretas e um tanto individuais. É o foco no “eu” que, de certa forma, garante o sucesso do Snapchat e Instagram, ambos fenômenos de popularidade.

A verdade é que pesquisas recentes demonstram que a rede favorita dos jovens ainda é o YouTube. Segundo elas, 85% dos adolescentes que usam redes sociais estão presentes no YouTube – e imagina quem vem logo em seguida? Justamente o Instagram, com 72% da atenção, seguido pelo Snapchat com 69% do uso.

Não é difícil entender o apelo dessas redes. Os filtros nos ajudam a ser diferentes pessoas ao mesmo tempo que mantemos nossas características e são sempre divertidos.

Além disso, nenhuma das duas redes permite longos e políticos textos, opiniões extensas sobre assuntos complexos. Elas geram uma bolha, feita de amigos próximos e conhecidos do ambiente escolar, e o número de seguidores determina até mesmo certo status.

Apesar das semelhantes, as redes são diferentes e oferecem, cada qual, uma forma específica de interação. Por isso, a codeBuddy resolveu explicar como Snapchat e Instagram fazem parte da vida de seu filho ou filha – e como você pode se encaixar nessa dinâmica.

Vamos lá?

  • Save

O charme do Instagram

Não apenas para o público jovem, o Instagram cresceu enormemente nos últimos anos e impulsionou as tão famosas selfies. A maioria dos celulares conta com câmera frontal especialmente para facilitar a fotografia desses autorretratos.

Afinal, quase qualquer hora é hora para uma boa selfie. Sair com amigos e amigas, um show, um evento, um belo entardecer, o esporte praticado no meio do recreio… O Instagram tornou-se a plataforma ideal para compartilhar fotos e mostrar de forma quase glamourosa a rotina para os outros.

Incentivados talvez pelos próprios reality shows, crianças e adolescentes são protagonistas de suas vidas e têm uma história para contar. Eu diria até mesmo que isso tudo é reflexo dos anos 90 e início dos anos 2000.

Além disso, elas podem seguir ídolos, conhecer seu cotidiano e até deixar comentários. O please come to Brazil surgiu exatamente nesse contexto de comunicação fácil com absolutamente qualquer pessoa do mundo.

Por dar um peso tão grande às imagens – afinal, seu perfil é baseado nelas – não é incomum ver perfis com curadoria, preparados e planejados com antecedência para transformar as cores e dinâmicas da rotina num imenso porta retrato virtual (geralmente só com os bons momentos).

Seguidores, likes e views dos vídeos ditam relevância para os seguidores, e as hashtags permitem que qualquer um com interesses em comum se encontrem. Ah, e achou que o Instagram ficaria realmente para trás do YouTube? O recurso IGTV facilita o eu blogueiro de qualquer um.

  • Save

Pontos positivos do uso do Instagram

O Instagram pode ser um app de interação saudável desde que alguns cuidados sejam feitos por parte dos pais. A partir dos 13 anos, requisito mínimo para o uso do app, as crianças podem criar um perfil.

Caso o intuito seja focar na vida pessoal, é recomendável que a conta seja fechada, com os pais explicando a importância de aceitar apenas conhecidos. Princípio básico da segurança: não queremos que nossa rotina fique tão exposta a quem não nos conhece.

Mas se seu filho tem um dom para arte, deixe o perfil aberto para que ele mostre ao mundo seus desenhos, pinturas, fotos, música e até dança! Há uma comunidade inteira compartilhando talentos pelo Instagram e por que não fazer parte dela?

Conversem, entendam os objetivos de criar uma conta e também permita que a criança ou adolescente se sinta livre. Guiar é altamente recomendável, enquanto proibir é a receita para o desastre.

  • Save

O apelo do Snapchat

Um dos motivos para o snapchat ser tão famoso entre os mais jovens é o fato das mensagens serem excluídas em poucos segundos, dando uma sensação maior de liberdade. Algo que para, talvez para os adultos, faça um pouco menos sentido.

Além disso, a rede oferece controle sobre o que é enviado. Sabemos, por exemplo, se alguém tirou um print da foto ou mensagem que enviamos. E, caso contrário, “esta mensagem se auto-destruirá em 7 segundos”.

Como se não fosse suficiente, é possível realmente se divertir no aplicativo. Os filtros são diferentes daqueles encontrados no Instagram, e você pode alterar a voz para a de um bebê ou de uma abelha, mudar o formato do rosto, e se fazer piada e rir de si mesmo.

Por fim, ele ainda trabalha gamification com os chamados streaks, que é uma espécie de competição para manter uma conversa com um amigo ou amiga pelo maior tempo possível.

O apelo do Snapchat se dá muito sensação de participação em uma comunidade. As ferramentas internas do app ajudam a criar uma série de interações que transformam uma simples conversa em um verdadeiro jogo.

Pontos positivos do Snapchat

Por ser um aplicativo que possibilita muito mais controle do conteúdo postado, o Snapchat pode ser considerado uma opção mais segura do que o Instagram.

O site CyberBulling publicou uma pesquisa que ressalta que a ausência de uma barra de busca e outros recursos presentes no Instagram, tornando o Snapchat uma opção melhor para adolescentes. Nesta “guerra” de Snapchat vs Instagram, definitivamente o primeiro ganha.

Vale ressaltar que a experiência do usuário, ou, em outras palavras, a atmosfera no Snapchat, é muito menos voltada para o universo de “likes”. Política que inclusive foi alterada pelo Instagram, não mostrando mais publicamente o número de likes em fotos e vídeos, evitando que as pessoas adquiram a necessidade de aprovação ou validação dos outros para se sentirem felizes e realizadas.

  • Save

Snapchat vs Instagram: quem ganha?

Infelizmente não existe resposta para essa pergunta, pois as redes são usadas de maneiras diferentes e apresentam problemas distintos. Reconhecidamente, nenhuma delas precisa ser proibida.

Até porque, mais importante do que validar uma rede social, é entender a maneira que ela é usada e impôr limites. Para isso, é importante trabalhar uma educação digital tanto em nós, adultos, quanto nas crianças e adolescentes.

Afinal, eles estão aprendendo a viver nesse mundo que contém riscos tanto na internet quanto na vida cotidiana. E, assim como nós, precisam entender como suas ações e compartilhamentos podem dar tanto certo quanto errado.

A codeBuddy se preocupa com essa questão e acredita que a conscientização sobre a tecnologia pode ajudar crianças e adolescentes a criarem visão crítica e uma postura mais ativa nesse universo. Com uma atitude positiva, podemos melhorar o mundo ao nosso redor por meio da tecnologia!